Olhar o Brasil expõe coleções particulares e lança acessórios

Nas lojas dos principais museus do mundo, obras de arte se transformam em peças de uso cotidiano. A Olhar o Brasil fez o mesmo com o acervo dos museus do Açude e Chácara do Céu e com objetos pessoais de Castro Maya, que fazem parte de coleções particulares e resultaram, respectivamente, na nova coleção da marca e em uma exposição, que poderá ser vista a partir de 17 de maio no showroom de Ipanema.

Jogos americanos e porta-copos ganharam estampas com as famosas pinhas de Santo Antonio, presentes no Museu do Açude; gravuras de Debret, Rugendas, Chamberlain e Taunay foram plotadas em lonas e viraram grandes painéis de parede; as negras de Debret agora estão em almofadas com bordados feitos à mão e em luminárias, bandejas e coolers.

Já a exposição “Castro Maya – Um olhar” traz objetos pessoais como menus de jantares oferecidos pelo colecionador, cartões de Natal e livros raros, todos com ilustrações de nomes como Di Cavalcanti, Ademir Martins e Enrico Bianco, que pertencem a colecionadores particulares.

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>