Dupla versátil

Mais do que consagrados, seus nomes são referência não apenas nos projetos de arquitetura e interiores, mas também no design de móveis para quartos. Carmen Zaccaro e Marise Kessel perceberam um nicho de mercado mal explorado e abriram a Quarto Composto há 16 anos. “Nosso estilo é contemporâneo e atemporal, pois procuramos não seguir tendências nem modismos. Isso vale tanto na arquitetura quanto no design de móveis. O caminho foi natural, nos identificamos com a arquitetura sem excessos, mas com personalidade”, afirma a dupla em entrevista ao Radar Decoração.

RD: Por que escolheram essa profissão?
C.Z: Não sei responder o porque com objetividade. O que posso dizer é que sempre gostei de arte e arquitetura. E sempre gostei de desenhar. Conheci a arquitetura de interiores já formada, no primeiro escritório que trabalhei, e me apaixonei. Compreendi o quanto o conhecimento em interiores e decoração na arquitetura é importante, tornando qualquer projeto mais completo.
M.K:Acho que a escolha da arquitetura veio desde sempre, mas a importância arquitetura aliada à arquitetura de interiores e decoração foi compreendida logo no início da vida profissional, em que os projetos foram acontecendo de forma completa e mais importante.
RD: Como definem o estilo de vocês e qual foi o caminho que percorreram para desenvolver esse estilo?
C.Z: Nosso estilo é contemporâneo e atemporal, pois procuramos não seguir tendências nem modismos. Isso vale tanto na arquitetura quanto no design de móveis. O caminho foi natural, nos identificamos com a arquitetura sem excessos, mas com personalidade.
M.K: É uma base contemporânea. Ambientes sempre mais leves. Prezamos os design, sem excessos, com personalidade, mas sem seguir tendências.

RD: Como surgiu a ideia de ter sua própria loja de móveis?
C.Z e M.K: Pela carência de móveis de design para quartos. Costumávamos desenhar o mobiliário de quartos para nossos projetos, pois nada que havia no mercado nos agradava. Como sempre agregamos design de mobiliário aos nossos trabalhos, nos aventuramos e abrimos nossa empresa há 16 anos. No início desenhávamos as peças e terceirizávamos a produção. Abrimos uma pequena loja e descobrimos que muitos profissionais também sentiam falta de móveis diferenciados para quartos. Há seis anos passamos a produzir nossos móveis na nossa própria fábrica e diversificamos os produtos.

RD: Quais são as vantagens de trabalhar em dupla? Vocês dividem o trabalho de alguma forma específica?
C.Z : Sim. Dividimos o trabalho e funções, que é a única forma possível de darmos conta de 3 empresas: escritório de arquitetura, a loja e a fábrica. No escritório dividimos os projetos. Na Quarto Composto, sou responsável pelo design e desenvolvimento dos produtos e pela parte técnica. Marise é responsavel pela parte financeira e fiscal. Eu tomo conta da fábrica e Marise se dedica mais às vendas da loja.
M.K:Temos uma parceria de muitos anos e com tantas atribuições, o trabalho em dupla é muito vantajoso. Podemos dividir tarefas e opiniões. Com relação à loja e à fabrica, temos hoje tarefas mais especificamente definidas. Hoje a Carmen está mais na fábrica e eu, Marise, mais na loja. No escritório de arquitetura dividimos os projetos. Mas estamos sempre juntas na tomada de decisões. É muito positivo para nós e para quem trabalha conosco.

RD: Quais os projetos que entregaram recentemente?
C.Z e M.K: Uma casa em Angra dos Reis e 4 reformas de apartamentos no Rio (3 no Leblon e 1 na Gávea).

RD: Quais os projetos que estão fazendo agora? Algum que curtem em especial?
C.Z e M.K: Atualmente estamos com várias reformas de apartamentos na Zona Sul. Mas o que estamos priorizando atualmente e o trabalho da Quarto Composto, loja e fábrica.

RD: Algum projeto que sonham em fazer e nunca fizeram?
C.Z e M.K: Algum projeto corporativo, como um hotel inteiro, por exemplo, desde o projeto de arquitetura até o interior, incluindo design de mobiliário e decoração. Já fizemos reformas em hotéis existentes, mas gostaríamos de participar do conceito inicial de um hotel, até finalizar com a decoração dos mínimos detalhes.

RD: O que consideram essencial em qualquer bom projeto de interiores?
C.Z: Bom senso, proporção e ouvir as necessidades e atender as expectativas e sonhos dos clientes.
M.K: Atender as necessidades do cliente, seus sonhos, e realizar isso de uma forma muito especial, sempre com bom senso, praticidade e leveza.

RD: Qual a importância de materiais sustentáveis no seu trabalho?
C.Z e M.K: Absoluta. Procuramos e estamos em constante pesquisa de materiais sustentáveis e só trabalhamos com madeiras certificadas na Quarto Composto.

RD: Forma, função ou emoção?
C.Z e M.K: As três, com equilíbrio.

RD: Quais vocês acreditam serem as peculiaridades do mercado carioca? Qual o papel ou importância do Rio dentro do mercado brasileiro de arquitetura  e decoração? O que falta nesse mercado?
C.Z: Acredito que as maiores característica do”estilo carioca” na arquitetura são os espaços leves, despojados e sem excessos, extremamente elegantes e ao mesmo tempo ultra confortáveis e práticos. Acho que os profissionais cariocas são os que melhor conseguem este equilíbrio em seu trabalho, utilizando materias naturais, harmonizam muito bem cores e texturas em seus projetos, criando ambientes cheios de personalidade.
M.K: O Rio de Janeiro hoje é uma referência no mercado brasileiro de arquitetura e decoração. Grandes mostras de decoração acontecem em diferentes períodos e locais. O comércio carioca hoje está multiplicado e oferece opões para os profissionais e clientes dos mais diversos segmentos. Muito se encontra hoje no mercado para todo tipo de solução, desde a base do projeto até a finalização da decoração. Há muito investimento sendo feito ainda por parte do comércio de decoração no sentido de oferecer sempre mais conforto e possibilidades para este mercado sempre aquecido. Como arquitetas e sócias da Quarto Composto, estamos sempre neste mercado.

RD: Como são as casas de vocês? O que gostam de ter nelas?
C.Z: Acho que somos parecidas e temos casas como gostamos de trabalhar para nossos clientes: arquitetura contemporânea e tecnologia são fundamentais para tornar os espaços confortáveis. Porém acreditamos que a alma e a personalidade de cada projeto estão na história de cada um. Minha casa tem a estrutura contemporânea: boa iluminação, armários super modernos. Mas junto com essa “modernidade” toda, tenho tapetes persa, muita prataria portuguesa e objetos e móveis antigos, heranças de família e adquiridos ao longo da minha vida. Marise tem móveis de Joaquim Tenreiro e Sérgio Rodrigues que foram de seu pai, também arquiteto. Nossas casas são bem diferentes, porém possuem a história de vida de cada uma na decoração.
M.K:Nossas casas refletem, de certa forma, o nosso trabalho. São de arquitetura contemporânea, contam com tecnologia, espaços confortáveis e uma iluminação muito bem cuidada. A partir daí, cada casa, conta um pouco a sua história. Sendo assim, na casa da Carmen, móveis antigos, tapetes persas e muita boa prataria  (herança da sua mãe que tinha um antiquário) convivem em perfeita harmonia em um ambiente contemporâneo, leve e  bem iluminado. E na minha casa, o mobiliário brasileiro (Joaquim Tenreiro e Sergio Rodrigues), que foi do meu pai, também arquiteto, está ambientado em meio a toda uma iluminação e tecnologia moderna.

RD: Qual foi o maior aprendizado nesses anos de profissão?
C.Z: Que respeitar a história e os sonhos dos clientes é fundamental para um projeto com alma. E que o bom profissional deve interpretar estes sonhos, mas sempre surpreender com sua arquitetura.
M.K: Vimos ao longo dos anos o quanto as pessoas foram se voltando para suas casas, entendendo a necessidade do morar bem, ter a sua história nestes ambientes, investir no seu conforto. Temos o entendimento de que respeitar, ouvir, entender, interpretar e fazer acontecer de uma forma surpreendente é o nosso melhor trabalho.

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>