Intervenções artísticas, esculturas, painéis, quadros e fotografias,  dão personalidade e completam o conceito de vários ambientes da  29º edição da CasaCor Rio, convidando o visitante a passear pela mostra com olhares de reflexão e encantamento.

Sob o  olhar  da  fotógrafa  Kitty Paranaguá, a frente do Ateliê Oriente, que promove experiências, trocas e aprendizado da fotografia, do cinema e das artes,  destacamos abaixo, algumas das  coleções de arte selecionadas por arquitetos e designers de interiores para seus espaços da CasaCor Rio 2019.

Os vitrais da Casa:

O prédio do edifício Touring, no centro do Rio, que hospeda a CasaCor Rio 2019, é o grande  protagonista da mostra.  Projetado em 1920 pelo arquiteto francês Joseph Gire, em estilo eclético e com elementos art déco, não podemos deixar de destacar os vitrais  e seus efeitos produzidos pela entrada da luz solar, projetando uma variedade de cores no interior da casa. Detalhes que encantam o Rio há 100 anos.

 

No CH´A  Bar : Intervenção artística na torre do relógio

No espaço da arquiteta Gisele Taranto, a intervenção artística com tecido colorido e luz, na torre do relógio, contou com a curadoria de Vanda Klabin: “A visão da paisagem da Baia de Guanabara traz imediatamente a presença de uma intensa pulsação cromática o tempo todo, seja em dias ensolarados ou nublados.  A presença da torre do relógio e suas 4 faces, me direcionou para uma intervenção artística através da captura da cor em seus diversos meios de expressão”, diz  Vanda.

Pensando nestes elementos, Vanda convidou o artista plástico Marcelo Catalano e  o designer de iluminação Maneco Quinderé, para que desenvolvessem uma acumulação pictória na torre do relógio.

“ A torre cria um contraponto com as alterações cromáticas da natureza. É uma experiência de pintura, uma interlocução do artista com seu processo de trabalho, ampliada por uma intervenção urbana, pois toda a cidade ao redor pode contemplar as suas saturações de cores”, complementa Vanda.

 

Na Recepção das Camadas: intervenção de Celso Rayol e Fernando Costa

O projeto de intervenção surge como uma nova camada de história, que  preserva e, ao mesmo tempo, interage com a belíssima arquitetura do edifício. O mobiliário do hall de entrada da casa, a Recepção das Camadas, espaço dos arquitetos Celso Rayol e Fernando Costa,  é composto por módulos que podem assumir diferentes layouts. 

 

No Salão do Cais: Lucia Koch – Galeria Roesler

No  Salão do Cais, da designer de interiores Paola Ribeiro, um  espaço  que brinca com as formas,  ressaltamos o trabalho da artista Lucia Koch, que se  caracteriza pela investigação de espaços arquitetônicos, cuja percepção se altera nas suas instalações. Essa é a estratégia que segue a artista, em muitas das suas fotografias, onde monumentaliza os interiores de caixas de papelão que adquirem uma outra dimensão, devido à escala da imagem. A traição das imagens.  

 

Na Sala da Colecionadora: Hilal Sami Hilal – Galeria Cassia Bomeny

A Sala da Colecionadora, espaço das arquitetas Márcia Müller e Manú Müller, em parceria com a Cássia Bomeny Galeria, as obras de arte são as estrelas do ambiente.

Com curadoria de Vanda Klabin, destacamos a obra do Hilal Sami Hilal  – 500 x 200 cm ,sem titulo, 2005, em papel artesanal, algodão e pigmentos.

Cruzando influências culturais entre o Oriente e o Ocidente, entre a tradição moderna ocidental e a antiga arte islâmica, surgiram suas rendas, confeccionadas com um material exclusivo, criado com celulose, retirada de trapos de algodão e misturada com pigmentos. Diz Vanda.

 

No Estúdio do Viajante: Waltércio Caldas e Malu Fatorelli 

O arquiteto Diego Raposo, em seu  Estúdio do Viajante, manteve a personalidade do ambiente com as escolhas das peças e obras de arte. Malas, livros e artes  revelam o que é essencial para um jovem viajante.

Na sequência acima: 

  • Escultura ”Meia- sombra”  – artista Waltércio Caldas (2017- aço inoxidável polido –  32 x 38 x 22 cm,   Edição de 20). Galeria Mul.ti.plo Espaço Arte.
  • Obra  “Espaço sem tempo” – artista Malu Fatorelli (2014- 56 cm x 56 cm cada). Galeria Mul.ti.plo Espaço Arte.

          

Na Casa Zoo: Designer Bruna Baars

A selva invade a brinquedoteca. A Casa Zoo, espaço dos arquitetos Ricardo Gutemberg e  Lívia Quintella, foi povoada por animais gigantes da designer Bruna Baars, que utilizou a arte do papercraft, método de construção de objetos tridimencionais a partir do papel.  Bruna projetou o modelo 3D em um software, para depois planificar para o papel.  Após o corte, a finalização é feita por meio de dobras e colas de forma totalmente manual. Para dar maior resistência, o modelo é finalizado com verniz.  

 

Na Sala Shanti: Marco Maggi

Esta obra do artista plástico Marco Maggi, uma tela  de 150 x 150 – SLIDING (Nordeste) 2016, foi detalhadamente confeccionada com slides, cortes e dobras em folhas de papel de 35 mm  nas molduras. Está na Sala Shati da arquiteta Bianca da Hora.  

 

 

No WineLiving: intervenções artísticas com a pedra Matrix

No  WineLiving,  espaço do arquiteto Mario Santos,  as peças  são feitas de uma pedra da Bahia que se chama Matrix e estão sendo produzidas pelo ARtec Design. O desenho é do arquiteto  e foram produzidas especialmente para a Casa Cor Rio 2019.

Matrix é uma pedra brasileira exótica, um xisto, com dureza e maciez ao mesmo tempo. À partir destas características, a pedra se apresenta como uma incrível matéria-prima na mão do designer,  boa para esculpir e também para servir de piso.  Mário desenvolveu um projeto que se chama Tapeçaria do Matrix.

 

No Loft Coral #Co.living:  Marcos Duarte

Com bom design, cor e humor, a arquiteta Leila Bittencourt criou seu espaço com estilo contemporâneo, em parceria da curadora Flavia Finch, ex-monitora do curso de escultura do João Carlos Goldberg, no Parque Lage.

Flávia indicou a obra acima –  o Fósforo de madeira com 1,97 de altura, do artista  Marcos Duarte, presente no loft.

“A madeira é componente decisivo na expressão escultórica de Marcos Duarte. Nessa trajetória resgata seu estatuto essencial como matéria de construção da sociedade, aliando acuidade técnica e ilusão em um naturalismo contemporâneo”, complementa  Flávia Finch. 

 

Na Casa do Bem: Beto Gatti

No espaço Casa do Bem, destacamos as fotos de três operários feitas por Beto Gatti para o projeto  Arquitetando o Bem, criado por Fernanda Marcolini, diretora de responsabilidade social do  Casa Shopping.  Este projeto  reforma  e,  em alguns casos até constrói  casas de família de crianças com doenças crônicas. O espaço Casa do bem  é do arquiteto Jorge Delmas.

 

No Terraço Ro+Ca:  Ani Cuenca

Os arquitetos do Studio Ro+CA inauguraram um Selfie Point no espaço Terraço Ro+Ca, com a confecção exclusiva deste painel –  Minha Alma Canta, da artista Ani Cuenca.

Os desenhos de Ani são sempre nonocromáticos. O branco entra como base, e o preto atua como o fio condutor, enlaçando  as linhas delicadas que compõem cada traço de plantas imaginárias, criando bouquets e naturezas-mortas de arranjos de espécies inventadas pela artista.

 

Na Varanda Deca: Alexandre Mazza

Nas  tvs instaladas na Varanda Deca, espaço do arquiteto Maurício Nóbrega, o artista Alexandre Mazza  chama  a atenção para os milagres que estão a nossa volta, com um vídeo de uma queda d´água, simbolizando a energia que ela nos traz.

 “O milagre não é raro, é o tempo todo, a cada segundo. Fenômeno constante. O milagre deve assumir uma nova significação, menos evidente, mais significativa. Uma queda d´água contínua é um milagre, estar vivo é um milagre. Podia ter escolhido vários exemplos de manifestações de milagre, mas escolhi a água”, conta o artista. 

 

No Loft Premium: Sandro Gos e  as litografias Picasso

o espaço dos arquitetos Alexandre Lobo e Fábio Cardoso, o Loft Premium, foi equilibrado com uma ambientação contemporânea, que  ganhou algumas obras da Galeria Dom Quixote:

Na sequência acima:

  • Quadro autor Sando Gos  – 1.70 m por 1.57 m  – Óleo sobre tela_2018
  • Litografias Picasso–  23 cm x 38 cm  – Litografia a cores – Parte do portfólio”  Picasso and the human comedy: A suíte of 180 drawings¨com prefácio de Teríade, texto de Micjhel Leiris,  editado por Verve e impresso por mourlot, 1954.

 

No Home Bazaar: Eduardo Sued

No Home Bazaar, espaço das arquitetas Tiana Meggiolaro e Bia Mayrinck,  destacamos a gravura de Eduardo Sued, com as incríveis cores que convivem de forma única em sua obra. O trabalho de composição do artista, possibilita que cores absolutamente improváveis de conviver entre si, estejam lado a lado, hora em harmonia, hora em conflito. O importante é o resultado poético.

 

No Docas Lounge: Maria Lynch

No Docas Lounge, espaço das arquitetas Adriana Esteves e Mariana Junqueira, destacamos a tela “Passagem” de 2 m x 2m, tinta acrílica sobre tela, da artista plástica Maria Lynch. Os quadros, com as cores fortes que são marcas do trabalho da artista, exploram uma arte abstrata e conceitual, mas que não está  completamente fora do mundo real.  Lynch expõe seus pensamentos filosóficos em forma de criações artísticas. 

 

Na Livraria:  Harry Benson

Na Livraria,  espaço do arquiteto  Sérgio Novaes,  encontramos o  “On the Road”- 1964-66,  o livro do fotógrafo Harry Benson, que mostra os bastidores daquele que foi o maior fenômeno da cultura pop do século XX. Durante dois anos, o fotógrafo acompanhou a vida dos Beatles na estrada, captando alguns dos momentos que marcam o auge do grupo. Em 2011, as imagens foram transpostas para o papel: ao todo são 272 páginas que refletem não só a história dos Beatles como aquele que Benson descreve como um dos períodos mais felizes da sua vida. tiragem 1513 /3000

 

CasaCor Rio 2019 

De 20 de agosto a 29 de setembro de 2019  

De terça a sábado, inclusive feriados, das 12h às 21h;  domingo, das 12h às 20h.

Rua Rodrigues Alves, 10 – Praça Mauá – Rio de Janeiro