A partir do dia 21 de agosto, o CCBB RJ recebe a exposição  “Ai Wei Wei – Raiz”, do artista plástico chinês Ai Weiwei, premiada pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) como a Melhor Exposição Internacional de 2018.

 

Para a mostra Raiz, Ai Weiwei fez uma série de viagens pelo Brasil desde 2017, onde desenvolveu trabalhos junto com comunidades locais e artesãos. Nessas obras fica fácil para nós perceber como ele usa a subversão de métodos ancestrais, raízes culturais e suportes tradicionais para abrir um diálogo abrangente e contundente. Em Root Land por exemplo, um conjunto de esculturas feitas com raízes mortas de pequivinageiro, uma árvore original da Bahia que, mesmo tendo uma vida média de 1.200 anos e sendo pouco usada para a marcenaria, está correndo risco de extinção

A monumental instalação “Forever Bicycles” (foto), uma das obras do artista, erguida ontem, em frente ao CCBB, no Centro do Rio, é  composta por mais de mil bicicletas de aço inoxidável. Como a roda de bicicleta de Duchamp, Ai Weiwei usa esse objeto familiar como um readymade.  Para o artista, que passou sua infância no exílio com seu pai no deserto de Gobi, a bicicleta representava liberdade pessoal. Naquela época, ter  uma bicicleta era um luxo. Quando ensinava arquitetura, Ai Weiwei usava a bicicleta para ensinar seus alunos como eles poderiam construir com materiais diferentes dos comuns, como tijolos e concreto. O nome do trabalho vem da marca “Forever” de bicicletas, produzida desde a década de 1940. As bicicletas eram onipresentes nas estradas chinesas antes que carros e outros veículos motorizados se tornassem amplamente acessíveis. Bicicletas Forever foi montada em exposições em todo o mundo, de Melbourne a Toronto e Londres. Cada instalação é única.

Serviço:

Exposição: Ai Wei Wei Raiz

De 21.08 a 04.11.2019

Horario: 09 às 21h

CCBB RJ – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro