A Pinakotheke Cultural Rio de Janeiro inaugurou nesta ultima quinta-feira (13), a exposição “Estética de uma amizade – Alfredo Volpi (1896-1988) e Bruno Giorgi (1905-1993)”, com mais de 130 obras, em sua grande parte inédita, que narram a longeva e afetiva convivência dos dois artistas, que perdurou por 52 anos. 

        Com curadoria de Max Perlingeiro, da Pinakotheke, e de Pedro Mastrobuono, do Instituto Volpi de Arte Moderna, a ideia da exposição vem sendo desenvolvida há dez anos, e pode ser materializada a partir dos longos depoimentos de Leontina Ribeiro Giorgi, viúva de Bruno, dados aos dois curadores. Ela abriu arquivos e “contou fatos históricos e pessoais, sendo uma memória viva dos dois artistas”, relata Max Perlingeiro.

        A exposição é acompanhada de um livro com capa dura, 228 páginas e formato de 22cm x 27cm, com imagens das obras e textos do crítico Rodrigo Naves, do  psicanalista David Léo Levisky, de Mário de Andrade (excerto do texto escrito em 1944 e publicado na “Revista Acadêmica”, em 1945), e de Max Perlingeiro

Serviço: exposição “Estética de uma amizade – Alfredo Volpi (1896-1988) e Bruno Giorgi (1905-1993)”, na Pinakotheke Cultural, em Botafogo.

Veja, na galeria de fotos de Paulo Jabur, quem esteve presente.

Fotos: José Newton Cunha ,Vera Tostes, Luciano Figueiredo e Bebeto Gouvêa Chateaubriand.

 

Fotos: Maria Eduarda Marques, Marcos Duprat , Perlingeiro e Pedro Mastrobuono.

 

Fotos: Raul Chamma, Gisela Pitanguy, Sílvia e Bebeto Gouvêa Chateaubriand.

 

Fotos: Teresa Salgado, Maria Luísa Viegas, Vanda Klabin e Luciana Sève.

 

Fotos: Adriana Cataldo, Camila Perlingeiro, Sheila e Pedro Mastrobuono.

 

Fotos: Rubem Grilo, Adriana Maciel, Maria Eduarda Marques e Marcos Duprat.