Vamos continuar nossa viagem pelos espaços do Casa Cor Rio 2012? Para dar início à segunda semana do evento, mais 4 ambientes cheios de novidades.

Armazém e Café Sebrae, de Diego Uribbe, Duke Capellão e Rodrigo M. Kalache

Numa área aberta, mas coberta e com vista para a Baía de Guanabara, o espaço tem múltiplas funções. Projetado pelo trio do escritório Movimento Arquitetura, o ambiente abriga ao mesmo tempo uma lojinha de artesanato, um simpático “café com varanda” e um lounge com palco para pockets shows. Destaque para o pot-pourri de diferentes cadeiras e mesas criadas por Paula Alves, Jader Almeida, Carlos Motta, Aristeu Pires e Arthur Casas (todas da Arquivo Contemporâneo). Estantes de aço corten e tecnocimento (Ekko Revestimentos), embutidas na alvenaria e com iluminação em LED, expõem os produtos artesanais do Sebrae. O piso escuro destaca o painel de azulejos do Coletivo MUDA. As jardineiras de concreto originais da casa apoiam um balcão alto de caesarstone.

Sala de Estar, de Erick Figueira de Mello

Apaixonado confesso pelo design nacional, o arquiteto colocou no centro da cena só móveis de grandes designers brasileiros, como Sérgio Rodrigues, Etel Carmona, Jader Almeida e Claudia Moreira Salles. Ele manteve a arquitetura original da casa exatamente como a encontrou, desgastada pelo tempo. Sancas, esquadrias e piso não foram modificados. As paredes ganharam somente uma leve pincelada de tinta branca para clarear o ambiente. “Não lixei nem nada, ficaram mesmo cheias de buracos e imperfeições”, explica o arquiteto. Espalhados pelas paredes gaveteiros antigos de Arnaldo Danemberg e telas de artistas brasileiros, como Amílcar de Castro e Gabriela Machado. Ele dividiu o espaço em três ambientes, um lounge espaçoso com dois enormes sofás em madeira, de Jader Almeida, e um mesão de centro com base de pedra, criação do próprio Erick, uma área de conversa com quatro poltronas, e outra com estante e cadeiras. No alto, uma tela de juta esconde o teto e abriga os spots do projeto de iluminação da La Lampe.

Banheiro Público (2º pavimento), de Ketlein Amorim

Chique e descolado para elas. Rústico e despojado para eles. É assim o banheiro público do segundo pavimento projetado pela arquiteta Ketlein Amorim. “Dividi os ambientes de maneira que homens e mulheres tenham banheiros separados, mas possam ver o espaço um do outro sem perder a privacidade”, ela explica.  Um jardim de inverno une as duas áreas. No banheiro feminino, painel estampado com pétalas vermelhas e rosas da Orlean, bancos em laca nas mesmas cores e diferentes tons de branco nos papéis de parede, nos revestimentos cerâmicos e no porcelanato. No banheiro masculino, a arquitetura da casa foi preservada, inclusive as paredes descascadas e os alisares desgastados, e valorizada com iluminação indireta e o uso de materiais novos e sustentáveis.

Estúdio I, de Paloma Yamagata

Um dos ambientes mais inovadores no que diz respeito ao aproveitamento do espaço. “O ambiente é compacto, tem 18 metros quadrados, mas tem tudo que o nosso personagem precisa para viver com conforto”, diz a arquiteta. Em uma base branca e preta sobressaem pinceladas de azul oxford e marrom café, presente nos móveis de design simples e elegantes. O piso em laminado e pedra contrasta com as paredes off white, todas forradas com papel de parede. Vidros e espelhos funcionam como divisória sem bloquear a visão. O teto ficou todo aparente, permitindo o máximo de aproveitamento do pé direito alto. “Aliás, foi exatamente isso que nos permitiu criar um mezanino onde está localizada a suíte”, conta Paloma. Ela tirou partido também da imensa janela (de120x230cm) transformando-a numa porta que se abre para o pátio/jardim interno do edifício. Em destaque, a escada Santos Dumont formada por vários nichos, funciona ao mesmo tempo como estante e acesso ao quarto.

Fotos: Rodrigo Azevedo