Em destaque devido à abertura da novela Gabriela, as aquarelas de Ivonesyo Ramos dispensam assinatura. Das curvas sinuosas do Rio ao clima agreste do remake da novela, passando pelos retratos de nomes consagrados da MPB, como Maria Bethânia e Chico Buarque, tudo ganha status de arte ao ser codificado pela sensibilidade desse carioca reconhecido internacionalmente.  Filho de artistas plásticos, Ivonesyo Ramos teve seu primeiro contato com aquarela ainda criança. Aos onze anos, fez um curso de experimentação e conceituação no Parque Lage, dando os primeiros passos nessa que é uma das mais difíceis técnicas da arte de pintar. Aos 26, como arquiteto, ao invés de traços feitos a lápis, usava a aquarela para desenhar as anotações que construiriam seu repertório profissional.

Ao completar 28 anos, Ivonesyo recebeu um convite para desenvolver seu trabalho em Portugal. Teve oportunidade de buscar referências por toda a Europa e o talento como aquarelista foi requisitado por vários ateliês em Florença, berço da arte. Obstinado, preferiu voltar ao Brasil em busca de um caminho próprio. E foi no Rio que encontrou e marcou a sua identidade: os caderninhos sem pauta começaram a ser freneticamente preenchido pelas paisagens cariocas. A demanda por trabalhos em escala maior rapidamente surgiu. Em cinco anos, o artista já produziu mais de mil obras. Atualmente, ele possui um acervo de 500 peças em seu charmoso ateliê, no bairro da Urca.

O talento, marcado pela busca incessante do último detalhe para solucionar o mais intrincado quebra-cabeças, fez com que Ivonesyo fosse convidado para levar sua arte para marcas como Mr. Cat e Richard’s.  E o artista tem marcado seu nome em relevantes participações. Entre elas, foi palestrante convidado no II Encontro de Aquarelistas em Paraty, onde seu traço ganhou distinção de Frank Francese, aquarelista americano que é Top Ten Instructor USA; participou da mostra de Canaletto Fundação Thyssen Bornemisza em Madri; e ganhou o Premio Júri popular Fundação Margareth Mee, com exposição no Museu Nacional de Belas Artes.

Paisagem e paisagista sistematicamente se confundem. Ivonesyo gosta de sair pela cidade e pintar in loco, transcendendo as paredes do ateliê e fazendo a aquarela direto da natureza. “O outdoor é meu escritório, onde tenho concentração maior. O que mexe comigo é o que acontece na rua. A aquarela para mim é muito mais que um meio de expressão, ela é uma filosofia de vida”, revela o artista plástico carioca.

Fotos de Divulgação