Fernando Jaeger e Ruy Teixeira

Família, amigos e parceiros reunidos em torno de arte, arquitetura e design. A abertura do evento Fragmentos, no ateliê Fernando Jaeger, aconteceu ontem neste clima. O casarão no Jardim Botânico abrigou três lançamentos: de novas peças do designer Fernando Jaeger, do livro Brasília Palace, com fotos de Ruy Teixeira, e de peças da Monaloca, da dupla Elisa von Randow e Paula Juchem. Paralelo à Rio + Design, que acontece no Jockey Club, o evento começou no fim da tarde. Logo na entrada, uma barraquinha de milho verde fumegando dava as boas-vindas. No jardim, carrocinha de picolé Itália; na varanda, tapioca e biscoito Globo. Sobre a mesa Torri – um dos lançamentos do designer Fernando Jaeger –, uma badeja recheada de cuscuz. A poltrona Clip em uma das salas (outras novidades, como o aparador Dama e a poltrona Felipe estão na semana de design), o rack Torri e outras peças novas assinadas por Jaeger foram ambientadas pelas fotos de Teixeira e pela arte das meninas. O designer veio especialmente de São Paulo para a abertura. Junto a Regina Kato, sua sócia no Rio, recebia os convidados, que percorreram os diversos ambientes do ateliê admirando o trabalho do renomado fotógrafo de arquitetura: nas paredes, prédios assinados por Niemeyer (a Escola Militar de Brasília, o Teatro do Parque do Ibirapuera, o Tribunal Superior de Justiça, em Brasília, duas fotos do Brasília Palace, entre outros), mas “fragmentados” pelas lentes de Teixeira. “O Palace foi o primeiro prédio de Brasília”, conta o fotógrafo. “Dali Juscelino despachava, porque ainda não havia outro lugar. Tempos depois ele foi abandonado e, há uns seis anos, reinaugurado. Foi quando surgiu o convite para fotografá-lo”, explica Ruy Teixeira, que fez uma avant-première do livro, que será lançado oficialmente semana que vem em São Paulo. Em três salas e no corredor foi montada a exposição de peças pintadas da Monaloca – um dueto formado por amigas de longa data, as designers e ilustradoras Elisa von Randow e Paula Juchem. Elas se utilizam de diversos suportes (tela, madeira, pratos, lençóis, panos de prato, bordados!) para imprimir uma visão muito feminina, e um tanto ‘revolucionária’, da arte. “A Monaloca começou sem nenhuma pretensão. Apenas duas amigas que, quando se encontravam, estavam sempre com um lençol e tintas nas mãos e pintavam!”, conta Elisa. “É guerrilha! Nós buscamos inspiração em tudo e transformamos o que vemos em algo pessoal”, brinca Paula que, não por acaso, é casada há 16 anos com Ruy Teixeira. Estavam lá Eva, de oito meses, Bia, de 8 anos, e Pedro, de 15, os três filhos.  O interessante da Monaloca é que elas são realmente uma dupla: um trabalho pode ser desenhado por uma e pintado pela outra; uma começa a pintar e a outra continua; ou as duas pintam juntas, ao mesmo tempo. “Ruy e eu somos os ‘mais novos velhos amigos’”, brinca o designer Fernando Jaeger. “Achamos que arte, design e arquitetura têm tudo em comum e esta é uma marca do ateliê: o design dos móveis sempre ao lado de fotografias ou arte nas paredes”, diz. “Ruy já fotografou um de nossos catálogos, Paula já ilustrou outro. Quisemos unir o lançamento das novas peças ao trabalho de pessoas talentosas e que têm a ver conosco, são próximos, amigos”, comemora Regina Kato. Foi ou não foi uma reunião de família, amigos e parceiros talentosos? Confira nas fotos de Paulo Jabur quem desfrutou desse fim de tarde delicioso no Ateliê Fernando Jaeger.