O hall dos quartos do Casa Cor terá a assinatura de Eliane Fiuza. A arquiteta, que costuma deixar uma marca contemporânea e clean em seus projetos, desta vez aposta no convívio harmônico entre o antigo e o moderno.  “Preservamos a boiserie, o piso (ambos em peroba do campo) e a sanca do projeto original da casa. Para fazer um contraponto à esta arquitetura clássica, fizemos interferências modernas”, conta Eliane, destacando a estante Cravo, lançamento da Finish, como o carro-chefe do hall.

“Fizemos um nicho e trabalhamos bem a iluminação para receber a estante assinada por dois artistas superbacanas, o Guilherme Leite Ribeiro e o André Bastos . Ela tem estrutura de aço e prateleiras em laca vermelha”, conta Eliane. “O móvel abrigará objetos da família, como livros, esculturas, um porta-retrato de prata, enfeites diversos, mas nada combinadinho, exatamente como a gente usa na nossa casa”, diz a arquiteta.

Próximo à estante haverá uma banqueta, para que o telefone possa ser usado com conforto. No teto uma luminária lançamento da Novo Ambiente, de nome bastante peculiar, a Moooi. Trata-se de uma esfera, com 90 centímetros de diâmetro, composta por diversos micropontos de luz. No chão um tapete feito de patchwork de kilim em tons de marrom e bege. As paredes serão forradas por um papel com desenho de linhas clássicas, compondo a mistura de estilos. Elas receberão quadros de artistas contemporâneos como Ivan Picelji, Claudio Cretti, Rubens Ianelli e Lasar Segal. Com sete metros de extensão e um pé direito de 5,20 m, o hall dos quartos promete ser muito mais do que um local de passagem. Difícil será não parar por ali.