A 21ª edição do Casa Cor começa nesta terça, em um palacete magistral, construído no século XIX. O Radar Decoração traz para os leitores diariamente detalhes de cada ambiente. E constata: a preservação da arquitetura original é o que chama atenção este ano.

Descrito por Lúcio Costa como “o derradeiro exemplar de mansão no estilo francês beaux-arts”, o Palacete Linneo de Paula Machado é de fato imponente. Tanto que a maioria dos arquitetos optou por não modificar as características originais de seus espaços. Em vez disso, os profissionais preferiram adaptar seus estilos aos detalhes arquitetônicos da casa.  O resultado foi, quase sempre, uma harmônica mistura de estilos: claraboias, sancas e boiseries convivem com móveis arrojados, obras de arte contemporâneas e o que há de mais moderno em tecnologia.

SALA DE VESTIR DO CASAL por de Chico Viana, Cynthia Pedrosa e Raphael Pedrosa

Na Sala de Vestir, sancas e o pé direito alto foram mantidos. Os boiseries dos armários idem. Afinal, para que esconder um trabalho de marcenaria tão rico se é possível tomar partido deles? A arquiteta Cynthia Pedrosa conta que os tecidos das portas dos armários foram trocados e o piso em parquê restaurado. O sofá Luís XVI, originalmente dourado, recebeu uma pátina para ganhar um tom mais fechado. Já o clássico lustre foi substituído pela luminária Pirce, do italiano Giuseppe Maurizio Scutella (La Lampe).

JARDIM DA ENTRADA, por Daniela e Sonia Infante

A fachada do Palacete é um luxo. Tem direito a porte-cochere – pórtico originalmente destinado a carruagens – e mansardas – janelas que saem do telhado. De frente para a fachada o exato oposto: um jardim moderninho com a assinatura de duas bambas no assunto: Daniela e Sonia Infante. Mãe e filha, elas são as responsáveis por jardins das mais belas casas e pousadas de Itaipava e arredores e estão sempre no Casa Cor. Os móveis são feitos com uma trama prateada linda e são estofados com tecidos bem coloridões. E o mais incrível: o material usado para criar a tal trama é tela de galinheiro. Dá pra acreditar? Pois é. Os tecidos são assinados pela artista plástica Mucki Skowronsky. O paisagismo acontece em 12 formas quadradas, com bordas de alumínio, de diferentes alturas. Como se fossem grandes canteiros, com diferentes espécies de folhagens em vários tons de verde. Além da luz tradicional do jardim, lustres envolvidos por tela galvanizada e réchaus presos às árvores dão um toque todo especial ao ambiente. Uma delícia.

SUÍTE DA MOÇA por Marise Kessel e Carmen e Zaccaro

Quando pegaram a Suíte da Moça para decorar, as arquitetas Marise e Carmen, da Quarto Composto, resolveram misturar pela primeira vez a loja com o Casa Cor, criando uma linha especialmente para a mostra, com cama (batizada de Clarice, em homenagem à Clarice Lispector), armário (bárbaro, com direito à tela de TV adaptada à porta de correr), banqueta e estantes contemporâneas. A estante original da casa (embutida, como se usava antigamente) foi mantida e preenchida por livros.  O resultado é um loft agradável que poderia ser muito bem o refúgio de qualquer mulher moderna com bom gosto e gosto pela literatura.

COZINHA por Duda Porto

A cozinha de Duda é o sonho de consumo de muitos hoje em dia. Integrada com a sala de refeições, sofisticada e com equipamentos de última geração, ela é ideal para quem gosta de cozinhar para os amigos e fazer do ritual um programa. A marcenaria clean é de autoria do próprio arquiteto. Na sala de refeições, destaque para uma estante bem criativa: no centro prateleiras para copos, taças e xícaras; nas laterais, as portas quando fechadas exibem estantes recheadas de livros de gastronomia, quando abertas mostram os talheres. Na cozinha chama atenção o painel do artista plástico Marconi, uma homenagem ao Rio.