Em homenagem a Arnaldo Danemberg, o arquiteto criou o Estúdio lançando mão de mais de cem peças do antiquário, entre móveis e objetos, que encontram-se em exibição no ambiente. Raphael utilizou peças antigas e atuais, como as dos designers Jader Almeida, Carlos Motta e Pedro Useche.

O profissional optou pela neutralidade de tons pastéis e amendoados e piso de cimento queimado. Os itens foram escolhidos a dedo para demonstração do passo a passo de uma restauração; como um baú machucado pelo uso, outro em certo estágio de restauração e por fim, um totalmente restaurado. O espaço foi totalmente projetado para viver, trabalhar, morar, respirar arte e restaurar!