O impacto da pandemia impôs novas demandas às escolas: novos protocolos sanitários, novos modelos de aula e também novos projetos de arquitetura. Alguns exemplos ilustram na prática como deverá ser a nova abordagem da arquitetura de espaços educacionais – muito mais amplos, abertos e funcionais. Em São Paulo, a espaço de 18 mil m² do Colégio Renascença vem servindo de parâmetro para outras instituições de ensino. Por se tratar de uma sede nova, inaugurada em 2018, o projeto assinado pelo arquiteto Jonas Birger e com espaços concebidos pela artista plástica Stela Barbieri, privilegia as áreas ao ar livre e, mediante à nova realidade, facilitará a convivência segura de alunos e professores na retomada presencial.