De acordo com matéria da coluna Cenário, “como curador geral da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, que ocorrerá entre outubro e novembro, chamei Ligia Nobre e Ana Luiza Nobre para trabalhar comigo. Ana Luiza, que mora no Rio de Janeiro, nos convidou a visitar a Cidade Maravilhosa sob um ângulo novo. Percorremos as inúmeras obras no centro e lugares importantes da zona norte: o Complexo do Alemão, o Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara (cadeg), o Piscinão de Ramos e o Complexo da Maré. Nossa preocupação é o cruzamento entre os modos de se fazer cidade, isto é, o desenho dos arquitetos e dos urbanistas, assim como as forças políticas e econômicas que realizam obras concretas, e as várias práticas cotidianas da população ligadas ao uso e à informalidade. Estamos convencidos de que não é possível pensar a cidade contemporânea sem se ater ao binômio fazer/usar”. Leia mais na Arquitetura & Construção de agosto.

Fonte: Arquitetura & Construção/ Cenário/ Por Guilherme Wisnik