Com 160 metros quadrados e no coração do Leblon, o escritório de uma gravadora projetado pela arquiteta Márcia Muller foge ao lugar comum. Ela explica: “O olhar do mundo corporativo para a decoração está mudando. Cada vez mais as pessoas procuram fazer do espaço de trabalho um prolongamento da sua casa. Ambientes frios, sem indentidade estão em baixa”. A cozinha criada por ela para o espaço é um exemplo disso, toda em marcenaria e com os acessórios guardados ou embutidos (como microondas e louças), ela funciona também como um bar onde é possivel tomar um drink com o cliente no fim do dia.

Nas cores vermelho, cinza, preto e branco, as salas do escritório são todas separadas por divisórias. “As paredes são, na verdade, paíneis móveis que se abrem e se fecham. Assim, o espaço pode se transformar num imenso salão com todos os setores abertos e se comunicando”, conta. O toque especial fica por conta de algumas peças de design, como as cadeiras Charles Eames e as poltronas Barcelona.
Macernaria – M3 Arquitetura
Cadeiras – Charles Eames
Poltronas – Barcelona