A obra “Nicarágua tão violentamente doce”, de Julio Cortázar, serviu de inspiração para o fotógrafo argentino Renzo Gostoli desenvolver um projeto gráfico integrado por diversas fotos produzidas e selecionadas durante anos de viagem em diferentes situações vividas na América Latina.

Em seu livro, Cortázar reuniu uma série de textos (notas de viagem, crônicas, artigos de jornal) escritos a partir de sucessivas viagens à Nicarágua nos quais falava sobre os dramas, as dificuldades e a ternura de um país que pretendia libertar-se da ditadura com o objetivo de construir um outro menos injusto via revolução popular.

Na exposição “América Latina, tão violentamente doce”, que o Instituto Cervantes abre, em Botafogo, o fotógrafo Renzo Gostoli também reúne ternura, violência, humor e surrealismo nas imagens em preto e branco que retratam o continente latino-americano. As fotos mostram os “surfistas de trem” no Brasil, uma surrealista réplica da Estátua da liberdade no México, nos anos 80, familiares de desaparecidos na Argentina e até um menino mascarado brincando nos escombros durante um terremoto no México. A viagem começa em 1979 e vai até os tempos atuais em países como México, Guatemala, Honduras, El Salvador, Argentina e Brasil.

Serviço:

Entrada gratuita

Período – De 17/11/2015 a 31/01/2016

Horário – Segunda a sexta das 10h às 19h / Sábado das 10h às 17h

Local – Instituto Cervantes
Rua Visconde de Ouro Preto, 62
Botafogo – Rio de Janeiro

Telefone – (21) 3554-5913