“Vivendo no vermelho”, a primeira coletiva da Graphos: Brasil, abriu na terça-feira, 31 de janeiro, às19h, reunindo trabalhos de elenco internacional, sob curadoria do galerista Ricardo Duarte, que constatou a incidência desta cor na produção contemporânea em suas diversas manifestações. A exposição fica em cartaz até 29 de fevereiro. Por extensão, Duarte incorporou ítens das ideologias ditas “vermelhas” – marxismo, comunismo, maoísmo, incluindo cerâmicas e tapeçarias-murais de propaganda do período da revolução cultural chinesa, no qual se produziram centenas de peças gráficas e esculturais perfeitamente alinhadas com a estética e o espírito da pop art. Nesta seleção são apresentadas, ainda, pinturas, gravuras, fotografias e objetos de 19 artistas do Brasil, EUA, Cuba, Grã-Bretanha, França, Espanha, México, Argentina e Benin. Entre eles, Anish Kapoor, Robert Rauschenberg, Russell Young, Rosângela Rennó, Vik Muniz, Walter Goldfarb, Leo Battistelli, Claudio Tozzi, Gustavo Nóbrega e Paulo Climachauska.Confira nas fotos quem prestigiou a abertura.
Fotos de Paulo Jabur
A Graphos: Brasil está aberta ao público, de segunda a sexta, das 11 às 19h, e sábado, das 11 às 18h. Grátis.