O Instituto Moreira Sales expõe, a partir desta sexta-feira, dia 24, fotografias do seu acervo no Paço Imperial, no Rio. A exposição “O Paço, a praça e o morro” reúne 200 imagens de grandes mestres da fotografia brasileira, como Marc Ferrez, Augusto Malta e Guilherme Santos, além de fotógrafos anônimos e amadores que registraram o centro da cidade entre os anos de 1860 e 1930, período em que o Rio foi capital do Império e da República. A mostra é um desdobramento da exposição “Rio primeiras poses”, realizada pelo IMS em seu centro cultural na Gávea. A exposição fica até 28 de agosto no Paço.

Os registros fotográficos reunidos são uma oportunidade de se confrontar in loco a evolução histórica de uma importante região da cidade, formada por este edifício e seu entorno − a praça ou largo do Paço, hoje praça XV de Novembro, e o próprio marco fundador da cidade, o morro do Castelo, removido há quase um século da paisagem e, consequentemente, também da própria memória que se tem da cidade.

Centro da vida econômica, social e política do Rio de Janeiro nos seus primeiros séculos de ocupação, o Paço Imperial, a praça XV e o morro do Castelo moldaram o crescimento da cidade a partir de sua configuração geográfica e urbana original até a virada para o século XX. Nesse momento, o centro do Rio sofreu grandes transformações e intervenções urbanas, associadas às reformas realizadas pelo prefeito Pereira Passos. Os dois grandes marcos dessa transformação foram a abertura da Avenida Central e o início do “bota-abaixo”, processo de expansão, valoração, modernização e gentrificação urbana que levaria ao total desmonte do morro do Castelo no final da década de 1920. A exposição apresenta imagens que mostram a cidade no período anterior a essas mudanças e outras que documentam e acompanham as reformas urbanas do início do século XX.

As profundas e constantes transformações em sua região central nos últimos 120 anos são fundamentais para se compreender o Rio de Janeiro dos dias de hoje. As fotografias de época reunidas em O Paço, a praça e o morro permitem que se compreenda o processo de crescimento e expansão urbana da cidade. No ano em que recebe um dos mais importantes eventos mundiais, a Olimpíada de 2016, revisitar estes marcos fundadores do Rio por meio do olhar de grandes nomes da fotografia brasileira é também um convite à imersão na paisagem e na vida de uma região que novamente passa por um processo de revitalização e transformação.

O Paço, a praça e o morro – Fotografias do Instituto Moreira Salles

Realização: Instituto Moreira Salles

Curadoria: Sergio Burgi

De 24 de junho a 28 de agosto

Paço Imperial, Rio de Janeiro

Praça XV de Novembro, 48
Centro – Rio de Janeiro
21 2215-2093
Entrada franca

Horário de funcionamento do Paço Imperial
De 24 de junho até 04 de agosto de terça a domingo, das 12h às 19h
De 05 de agosto até 10 de setembro de terça a domingo, das 11h às 19h (excepcionalmente no período olímpico, o Paço irá abrir uma hora mais cedo, para atender às demandas do evento).

www.ims.com.br

http://twitter.com/imoreirasalles

http://instagram.com/imoreirasalles/

http://www.facebook.com/InstitutoMoreiraSalles

www.blogdoims.com.br

http://revistazum.com.br/

www.correioims.com.br

http://brasilianafotografica.bn.br