Contatos – A tradição do fotojornalismo (Contacts – La grande tradition du photo-reportage) é o primeiro DVD da série de três volumes que o IMS lançará neste ano com autores comentando um conjunto de imagens e, desse modo, fazendo uma análise de seu processo criativo na fotografia. O evento de lançamento do primeiro volume da série ocorrerá no dia 30 de maio, às 16h, no cinema do IMS-RJ, com a exibição dos filmes sobre Henri Cartier-Bresson, William Klein e Raymond Depardon. Além dessas obras, será exibido Assis Horta, realizado por Jorge Bodanzky, sobre o fotógrafo mineiro de 96 anos; em seguida, haverá um debate com Bodanzky e Thyago Nogueira, coordenador de fotografia contemporânea do IMS.

Neste volume, diante de suas folhas de contato, 12 grandes fotógrafos que trabalharam para a agência francesa Magnum discutem seus métodos de trabalho como quem organiza um livro de memórias ou retorna ao acontecimento fotografado com a ajuda desses blocos de notas visuais.

Estão em cena Henri Cartier-Bresson, William Klein, Raymond Depardon, Josef Koudelka, Robert Doisneau, Edouard Boubat, Elliott Erwitt, Marc Riboud, Leonard Freed, Mario Giacomelli, Helmut Newton e Don McCullin. Os dois próximos volumes tratarão da Renovação da Fotografia Contemporânea (Contatos 2, com previsão de lançamento para agosto) e da Fotografia Conceitual (Contatos 3, previsão de lançamento para outubro).

Em um mundo dominado pela fotografia digital, as folhas de contato tornaram-se anacrônicas. Antes, como etapa obrigatória na edição de fotos, permitiam aos fotógrafos enxergar o conjunto de um filme e escolher as melhores imagens antes de ampliá-las. Hoje, ver as folhas de contato e as anotações feitas sobre elas permite resgatar a memória do processo criativo.

De acordo com Kristen Lubben, curadora no Centro Internacional de Fotografia de Nova York (ICP), na introdução que assina para o livro Magnum – Contatos (editado em português pelo IMS), o uso das folhas de contato na edição das imagens “era tão onipresente a ponto de ser visto como parte inevitável e inextricável do processo fotográfico”. Ainda segundo ela, “a folha de contato, criada mediante a impressão direta de um rolo ou sequência de negativos, permite ao fotógrafo a primeira visão daquilo que ele ou ela capturou no filme, mas também propicia uma visão do seu processo criativo. Ao armazenar cada passo ao longo do caminho que conduz a determinada imagem, ela dá a sensação de que estamos ao lado do fotógrafo e vemos através de seus olhos.”

Os 12 depoimentos reunidos neste DVD reforçam a sensação apontada por Kristen de estar ao lado do fotógrafo. É o próprio fotógrafo, diante da câmera cinematográfica, quem nos convida a acompanhar seu processo criativo, analisarmos juntos a folha de contatos, descobrirmos juntos como a imagem final foi construída. Ou ainda, como sugere William Klein, descobrir na folha de contatos o gesto fotográfico como uma espécie de memória do instante. “Você lê as tiras da esquerda para a direita, como se fosse um texto. É o diário do fotógrafo. Você vê o que ele viu através do visor, suas hesitações, seus sucessos, suas falhas, suas escolhas. Ele escolhe um momento, um ângulo. Um outro momento, um outro ângulo. (…) A vida de um fotógrafo, até mesmo de um grande fotógrafo, corresponde a uns poucos segundos”, diz Klein.

Para Henri Cartier-Bresson, que também analisa suas imagens em Contatos 1, “o que importa na fotografia é o tempo. (…) Na fotorreportagem, nosso diário de bordo, só importa o flagrante, o instantâneo. É preciso associar a emoção recebida do tema ao prazer da composição plástica, e a intuição é a regra de ouro para buscar o equilíbrio das formas. Para mim, esses são os princípios. O mais vem do inconsciente – na verdade, não sabemos. Vem do inconsciente. E, por fim, da folha de contato. Ela é mais ou menos o divã do analista.”

Ficha técnica:

DVD Contatos 1- A grande tradição do fotojornalismo

1. Henri Cartier-Bresson, de Robert Delpire (Produção: Arte France e KS Visions, França, 1994. 12’)

2. William Klein, de William Klein (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 15’)

3. Raymond Depardon, de Raymond Depardon e Roger Ikhlef (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 13’)

4. Josef Koudelka, de Robert Delpire (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 12’)

5. Robert Doisneau, de Sylvain Roumette (Produção Arte France e RIFF Production, França, 1990. 15’)

6. Edouard Boubat, de Roger Ikhlef (Produção: Arte France e KS Visions, França, 1994. 15’)

7. Elliott Erwitt, de Elliott Erwitt (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 2002. 12’)

8. Marc Riboud, de Alain Taieb (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 13’)

9. Leonard Freed, de Leonard Freed (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 13’)

10. Mario Giacomelli, de Yervant Gianikian e Angela Ricci Lucchi (Produção: Arte France e KS Visions, França, 1994. 14’)

 

11. Helmut Newton, de Philippe Collin (Produção: Arte France e RIFF Production, França, 1990. 12’)

12. Don McCullin, de Sylvain Roumette (Produção: Arte France e KS Visions, França, 1993. 14’)

A seguir:

Contatos 2 – Renovação da fotografia contemporânea (previsto para agosto)

Sophie Calle

Thomas Ruff

Mario Giacomelli

Nan Goldin

Lewis Baltz

Sarah Moon

Duane Michals

Jean-Marc Bustamante

Nobuyoshi Araki

Hiroshi Sugimoto

Andreas Gursky

Jeff Wall

Contatos 3 – Fotografia conceitual (previsto para outubro)

John Baldessari

Hilla e Bernd Becher

Christian Boltanski

Alain Fleischer

John Hilliard

Roni Horn

Martin Parr

Georges Rousse

Thomas Struth

Wolfgang Tillmans

 

O DVD estará à venda nas lojas dos centros culturais do IMS, na loja virtual www.lojadoims.com.br e em livrarias

Preço: R$ 44,90

Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
Tel.: (21) 3284-7400/ (21) 3206-2500

www.ims.com.br

http://twitter.com/imoreirasalles

http://instagram.com/imoreirasalles/

http://www.facebook.com/InstitutoMoreiraSalles

www.blogdoims.com.br

http://revistazum.com.br/