A coluna Gente Boa informou em nota: “Julius Wiedemann é carioca e há 15 anos está à frente da editora Taschen Books, famosa pelos classudos livros de arte e fotografia. Editando atualmente sete obras ao mesmo tempo, ele conta que, embora cobiçada, a rotina de quem roda o mundo em busca de novos movimentos do design e da cultura pop não é puro glamour. “As pessoas acham que quando você tem um emprego fora do Brasil e conhece gente interessante, tudo cai do céu”, diz. “Chego a trabalhar 12 horas por dia”. A próxima aposta de Julius, que deve chegar ao Brasil em novembro, é um livro que reúne 500 capas de discos assinadas por artistas plásticos de todos os tempos — de Salvador Dalí (sim, ele mesmo), passando por Jeff Koons, até o brasileiro Vik Muniz. O editor elogia a qualidade do design no Rio. “Há uma produção de altíssimo nível, mas o mercado carioca perde, porque alguns dos melhores talentos acabam indo para fora”. Ele fala mais sobre a “riqueza criativa” da cidade no “Fórum: Ideias, Iniciativas e Registros Criativos”, amanhã e quarta, na Glória”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Segundo Caderno/Gente Boa/03/04/16