Como já mencionado aqui ontem,  a Feira Paralela 2019, que acontece desde o dia 19 e termina hoje, 21 de fevereiro, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, a natureza continua inspirando ideias e protagonizando a compra dos produtos, como mostraram  grandes eventos do setor no ano passado.  Mais de 50 expositores exibem, neste ano, seus trabalhos ao público visitante – a maior parte dele composto por lojistas, profissionais e compradores do mercado de arquitetura e decoração.

O artesanato e o fazer manual devem continuam em alta neste ano, uma vez que a cadeia sustentável de produção é praticamente unânime entre os designers, sejam eles novatos ou já consagrados.

Confiram os destaques:

Foto de capa:  A arquiteta Nara Ota aproveitou a  oportunidade da Paralela para apresentar trabalhos realizados em parceria com outros designers e artistas. Em seu estande estão insetos decorativos feitos de porcelana e latão, frutos da colaboração com Joana Stickel. “Acho a colaboração entre os profissionais muito importante. Conseguimos juntos criar produtos que de forma independente não seria possível, com a mesma qualidade técnica e estética”, diz ela.

Há também objetos de parede  aramados com detalhes de metal banhado a ouro, desenvolvidos com Eurico Ygaya, e uma série de bonecos de sumô, feitos de porcelana por Ricardo Argenton, em versões pintadas.


O artista plástico Roberto Romero utiliza-se da técnica da escultura por meio de fios metálicos apostando na leveza por meio da suspensão da estrutura no ar. Seus trabalhos são inspirados na flora e na fauna brasileiras, ou em estudos da forma, cor e sombra dos objetos. Através desse encontro, suas peças percorrem três etapas de criação até o processo final: pelas linhas, como desenho geométrico; a cor, como potencial imagético; e a luz, como expansão de suas formas.

O designer e artista Paulo Goldstein traz novas versões dos vasos feitos de vidro soprado com estrutura de aço ou latão. “Estou me dedicando bastante ao desenvolvimento desse nicho de produto. Quero me consolidar dentro dele antes de avançar em novas criações”.


Em seu atelier, Manu Reyes prioriza o uso da madeira maciça e técnicas construtivas tradicionais e artesanais como, por exemplo, encaixes, cavilhas e espiga. Apesar da madeira ser protagonista em seu trabalho, Manu também utiliza outros materiais em suas criações. Seu traço é geralmente cercado por figuras geométricas com peças funcionais.

O Estúdio PontoEu, design de produto, e a TODO, indústria de móveis, apresentam, pela primeira vez, a coleção Ponto, com produtos assinados pela arquiteta e designer Roberta Banqueri, responsável pela criação das marcas e que tem uma bagagem de 20 anos no mercado,. A linha possui diversas vertentes de estilo e estética, um conjunto de linguagens de sua criadora, que transita com referências escandinavas, minimalistas, entre outras.

Danilo Costillas Atui, da Casa Costillas, trouxe para a Paralela,  a Coleção Opalina, luminárias inéditas feitas com lustres opalinas em homenagem aos pendentes e plafons que acompanham nossos lares há décadas.. Convencionalmente usados como pendentes, eles ganham versões de mesa com base de madeira. Entre os lançamentos estão ainda uma estante pensada para funcionar como comedouro para pássaros e uma casinha de madeira para os voadores