São Paulo – Com a proibição de fotografias e filmagens, a exposição da cantora islandesa Björk será inaugurada amanhã,  dia 18, no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. 

A mostra estreou em Sydney em 2016 e já passou por Tóquio, Barcelona, Cidade do México, Moscou, Montreal, Londres e Los Angeles.

Ela será dividida em seis áreas compostas por realidade virtual e elementos audiovisuais imersivos que demandam a interação dos visitantes. Ela traz seis trabalhos de Björk extraídos de seu penúltimo álbum, Vulnicura, lançado em 2015: Stonemilker, Black Lake, Mouth Mantra, Quicksand, Family e Notget. As obras podem ser vistas com óculos de realidade virtual.

Björk Digital é um projeto de realidade virtual em colaboração com os artistas visuais Andrew Thomas Huang e Jesse Kanda. 

Além dos seis vídeos, Björk Digital apresenta o projeto educativo Biophilia e uma sala de cinema onde o público confere diversos clipes da carreira da artista.

Os ingressos antecipados de 26.06 a 14.07 (quarta a domingo) já podem ser adquiridos no site e no aplicativo da Ingresso Rápido. Os valores são R$30 (inteira) e R$15 (meia). O ingresso antecipado dá acesso direto à exposição na sessão selecionada.