Para quem privilegia o consumo de peças engajadas, que tenham selo verde, uma ótima notícia: já está no ar a Rede Asta,  que promove a venda direta de produtos sustentáveis e inclusivos, reunindo 32  grupos de comunidades carentes que fazem artesanato, moda e decoração. A seleção de objetos à venda é bacana e, como tudo ali é comercializado diretamente, sem intermediários, o custo é bem interessante. Tem almofadas do grupo Fuxicarte, quadrinhos de papel machê, biscuit e azulejo do Grupo Ateliê Spinelli, capa de almofadas e cadernos que aproveitam sobras de tecidos da Isabela Capeto e La Stampa. “A cada três meses produzimos um novo catálogo de vendas, sempre acrescentando novos produtos. E podemos também criar sob demanda, dependendo da disponibilidade no momento”, aponta Alice Freitas, coordenadora executiva da Asta, que conta abaixo um pouco do processo da rede.

 

É possível desenvolver produtos específicos com a mão de obra de artesãos?

Sim é possível. Mas, claro, sempre vai depender da peça, da demanda e do custo. O que não podemos abrir mão definitivamente é de ter produtos com qualidade e potencial de mercado.

Como funciona essa “ligação” com os artesãos? Vocês interferem, orientam a criação?

Sim, nosso trabalho também envolve orientação a esses grupos de artesãos. Contribuímos para que cada artesão possa aproveitar da melhor maneira possível o material que tem em mãos. As artesãs recebem orientação de nossa equipe de designers sobre como fazer produtos bonitos e bem acabados. Assim, os produtos têm seu valor agregado aumentado significativamente. Procuramos incentivar essa troca de conhecimentos e promovemos algumas oficinas de capacitação também.

Quantos produtos de decoração vocês disponibilizam? Esse arsenal está sempre crescendo?

A cada três meses produzimos um novo catálogo de vendas. Eles trazem uma média de 40% de renovação. Os itens que vendem mais permanecem nos catálogos. Por catálogo, temos uma média de 60 peças de decoração e a ideia é fazer com que isso continue crescendo a cada catálogo.

A rede engloba o Brasil inteiro? Como repassam os lucros para a comunidade?

Os produtores da Rede Asta são do estado do Rio de Janeiro, mas vendemos para Brasil inteiro através de nosso canal online de vendas.  A Rede Asta existe para potencializar e estimular a geração de renda alternativa em comunidades de baixa renda. Esse é o nosso objetivo. Com a Rede conectamos esses pequenos produtores ao consumidor consciente e criamos uma corrente do bem.

Serviço:

www.redeasta.com.br ou pelos telefones (21) 3976-3159/3976-3152