Ao saírem dos bancos das Universidades, estudantes dos cursos de Engenharia, Arquitetura e Desenho Industrial muitas vezes saem perdidos quanto às possibilidades de ingresso na carreira e a empregabilidade. Esse panorama é reforçado pela pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos para o Santander em 2018: entre os estudantes brasileiros ouvidos no estudo realizado em 19 países, a maior preocupação da comunidade universitária brasileira está relacionada ao ingresso no mercado de trabalho. Nesse contexto, 54% dos ouvidos apontam que o processo de inserção precisa ser melhorado.

Ciente desse panorama, o PhD em Arquitetura e Design Gustavo Curcio trouxe uma experiência e visão de mercado para lançar o ArqXP. A startup nasce com o objetivo de revolucionar a relação entre universidades, futuros profissionais, profissionais e empresas. “Nossa missão é promover o encontro entre empresários, coordenadores de grupos de pesquisas e alunos, para que os professores e alunos comecem a falar a linguagem da indústria e os empresários entendam a linguagem da universidade”, afirma.

E como funciona esse processo proposto pelo ArqXP? Promovendo o contato direto entre os alunos dessas áreas com as iniciativas mais brilhantes de inovação do mercado das empresas. Por meio de debates, palestras, cursos, além de visitas técnicas em fábricas e obras, o ArqXP chama a atenção para as marcas e fomenta o interesse dos futuros funcionários. Cria-se uma ligação direta: o resultado é um ecossistema digital e presencial que faz das marcas top of mind na mente dos alunos antes mesmo ingressarem no mercado de trabalho”, conta o realizador do projeto.

Os números das profissões relacionadas ao universo da engenharia e arquitetura mostram a urgência de se criar iniciativas mais eficientes. Em 2020, segundo dados do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Unicamp, 148 milengenheiros entrarão no mercado. Entre 2012 e 2016, a quantidade de arquitetos aumentou 36% no Brasil, de acordo com informações do Anuário de Arquitetura e Urbanismo do CAU BR, de 2017.

Pilares de atuação:

Em busca de expandir a conexão entre as universidades e as indústrias, a startup possui três estratégias diversas. A primeira delas é a “Content Experience”, ou seja, a divulgação de conteúdo técnico da construção civil como fonte e referência das melhores práticas do setor. Para isso, a plataforma digital e o aplicativo do ArqXP publicarão notícias, cases, portfólio de obras e arquitetos, além de catálogos de produtos com foco em inovação. Com publicação bimestral, a revista impressa, por sua vez, promoverá artigos científicos de empresas ou instituições de ensino com curadoria de um conselho técnico. A primeira edição já está prevista para setembro de 2019. Além disso, cursos, debates e palestras com a presença de alunos e professores serão programados ao longo do ano.

O segundo método é o “Business Experience”, que consiste na criação de ambiente presencial e digital para a fomentação de valores e iniciativas de inovação das empresas. Nesse caso, os veículos serão essenciais. As companhias terão uma página exclusiva no portal com espaço para inclusão de duas postagens semanais, ligados à inovações e RH. Para divulgação de programas de estágios e trainees, plano de carreira, valores e missão da marca, uma plataforma específica será disponibilizada para cada parceiro. “Promoveremos eventos de conexão entre a empresa e o público universitário serão também organizados pelo ArqXP”, relata Curcio.

A terceira e última estratégia é a “Travel Experience”. Sempre à procura de modos criativos de inovar, o ArqXpdesenvolverá o contato direto dos estudantes com a indústria da construção civil e canteiros de obras no Brasil e no mundo. Dessa forma, um menu de viagens temáticas dentro e fora do país, com roteiros acompanhados por pesquisadores brasileiros, serão oferecidos aos estudantes universitários. Ainda serão realizadas visitas técnicas em fábricas de insumos, fornecedores e desenvolvedores de sistemas construtivos, bem como a produção de eventos demonstrativos de tecnologia, métodos construtivos, produtos em laboratórios e centros de pesquisa.

Parcerias

Nada disso seria possível sem os parceiros conquistados pela startup. O Grupo Pini, tradicional matriz de conteúdo do setor da construção civil, auxilia o ArqXP no compartilhamento de dados e mailing, com estreito relacionamento entre fornecedores e players do setor de construção. “A parceria entre o Grupo Pini e o ArqXP reforça nossa proposta de inovação. A aproximação entre mercado e universidade é a chave para fomentar os valores do setor entre as futuras gerações”, afirma René Agostinho, CEO da Pini e TCPO/Web.

Apoiando a mediação entre alunos e empresas, a Associação Escola da Cidade, por meio do curso de pós-graduação Conceber e Construir, firmou parceria com o ArqXP com apoio técnico e pedagógico. “Temos sede de um ecossistema que aproxime escolas de arquitetura, design e engenharia com empresas e fornecedores. Conectar, pensar e fazer é preciso”,disse Anália Amorim, diretora da instituição.

Por fim, mas não menos importante, a agência boutique de viagens Anita Fischer Senses é a responsável pela viabilização operacional das Travel Experiences“A parceria entre a Anita Fischer Viagens e o ArqXP surgiu para oferecer um viajar completamente diferente de tudo o que você já vivenciou. Com um foco preciso, pequenos grupos universitários têm em nossas viagens o olhar voltado para o aprendizado. Juntos, vamos ampliar suas experiências e torná-las únicas. Nossa ‘visão’, junto do ArqXP, é inovar com exclusividade”, conta Veronica Fischer, diretora da agência.

Garantia de eficiência

Percebendo a demanda do mercado, a startup é fruto de muita pesquisa e observação. Os argumentos para a idealização deste projeto se baseiam em opiniões de especialistas no assunto.

Sobre Gustavo Curcio, criador da startup ArqXP

PhD em Arquitetura e Design, Gustavo Curcio reuniu sua ampla experiência na área de design de mobiliário, estética do design e elaboração de projetos gráficos e editoriais para criar o ArqXP. Por ter sido aluno e professor na mesma universidade, a USP, ele conseguiu enxergar as necessidades dos colegas de profissão e pensar em uma solução inovadora.

Além disso, o especialista utilizou seu vasto conhecimento como jornalista para idealizar uma plataforma completa e com conteúdo de qualidade. Gustavo já foi diretor das revistas “Arquitetura e Urbanismo”; “Téchne”; e “Construção Mercado”, alguns dos principais títulos técnicos da construção civil no mercado editorial brasileiro. Atuou como Editor de Arte, Design e Decoração e foi colunista no núcleo de Casa e Construção da Editora Abril S/A. Já dirigiu a redação das publicações “Ronnie VON”, “Ameizing”, “Acontece/Scania” e “Na Poltrona” na RMC editora.

O visionário profissional também escreveu os livros: “Madeira: matéria-prima para o Design”, “Antonio De Mitry: na prática, a teoria é outra” e “Sandra Fóz Décor Tables — Interior Design e Decoração”.

Hoje, ele se dedica a melhorar e estreitar o relacionamento entre alunos de arquitetura, engenharias e desenho industrial com as empresas.