Inaugurado nesse último sábado, dia 24 de setembro, o “Z42 Arte” é o mais novo espaço dedicado às artes visuais em suas mais variadas vertentes, linguagens e pensamentos. Localizado em uma casa de arquitetura eclética dos anos 1930, com 1.500 m2, no Cosme Velho, o lugar possui cinco salas expositivas climatizadas, totalmente preparadas para receber as mais diversas obras de arte, além de abrigar ateliês de sete artistas visuais, a importante coleção de Fábio Szwarcwald e a redação da SANTART, publicação de artes visuais premiada no Benny Awards (Chicago, 2013) como a melhor do mundo no segmento fine art.
“A Z42 é um espaço de arte e pensamento, um misto de galeria de arte e ateliês de artistas. É um polo de cultura, vivo, pulsante, com uma programação qualificada, onde o público terá a oportunidade de ter contato direto com os artistas em seus ateliês”, diz Eduardo Lopes, diretor da Z42 Arte.

A exposição inaugural, “A Máquina do Mundo”, com curadoria Sérgio Mauricio Manon e Clara Reis, editores da SANTART, ocupa as cinco salas expositivas no térreo, com 26 obras, dentre esculturas, fotografias, pinturas e instalações, de 22 artistas: Anthony Goicolea, Cadu, Charlie White, Conrad Schawcross, Erwin Wurm, Henrique Oliveira, Isaque Pinheiro, João Castilho, Jorge Barata, José Bechara, Katia Wille, Leda Catunda, Marcio Atherino, Maria Lucia Fontainha, Mariana Palma, Mauro Piva, Reginaldo Pereira, Rodolpho Parigi, Rona, Sergio Mauricio, Talitha Rossi e Walmor Corrêa.

“A experiência da ‘Máquina do Mundo’ vai além de uma exposição convencional nas galerias expositivas. Todos os espaços da Z42 Arte foram concebidos como ambientes para mostras – afim de convidar o expectador para uma imersão artística. Os sete artistas residentes prepararam uma montagem especial em seus ateliês, batizada de ‘Universos Paralelos’ e o espaço do colecionador Fabio Szwarcwald abriga uma mostra do projeto Aurarte”, contam os curadores.

O nome da mostra surgiu do poema de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) e também do capítulo que leva o mesmo nome em “Os Lusíadas”, do poeta português Luís Vaz de Camões (1520-1580). “O resultado é uma narrativa poética que mescla o verbo e as imagens, na tentativa de capturar o espírito do tempo”, explicam os curadores. Há cinco meses, os artistas, os curadores e convidados se reúnem para leituras constantes dos poemas. A partir dessa experiência foi realizado um recorte curatorial, que mescla os artistas da coleção de Fabio Szwarcwald com os artistas residentes: Jorge Barata, Katia Wille, Maria Lucia Fontainha, Marcio Atherino, Rona, Sérgio Mauricio Manon e Talitha Rossi.

ATELIÊS ABERTOS
Paralelamente à exposição, os ateliês dos sete artistas visuais da Z42 Arte, estarão abertos para visitação com suas exposições individuais. Com isso, o público poderá ter acesso ao universo paralelo de cada artista. “Será possível ver as obras na exposição coletiva e depois subir para conhecer um pouco mais do universo do artista, e sua forma de criação”, ressaltam os curadores.

Serviço: A Máquina do Mundo
Visitação pública: 26 de setembro a 18 de dezembro de 2016
Z42 Arte
Rua Filinto de Almeida, 42, Cosme Velho – Rio de Janeiro
Telefone: (21) 3269.3227
De terça à sexta, das 11h às 19h. Sábados e domingos, das 12h às 18h.
www.z42arte.com.br
Entrada franca