Continuando nossa série, trazemos hoje mais alguns profissionais que fazem a diferença no mercado de decoração carioca. São mais quatro funcionários de lojas conhecidas que têm em comum serem os favoritos dos arquitetos e decoradores.

Há 12 anos na Finish, Eduardo Coutinho transborda amor pelo que faz. Ele começou como vendedor, hoje é gerente e conhece em detalhes cada um dos 3 mil produtos da loja.  “Tenho uma afinidade grande com vários arquitetos, porque eles têm a segurança de saber que podemos interpretar o que eles querem. Ouvir é o mais importante, pois estamos lidando com sonhos”, conta.  Eduardo afirma que a relação com os profissionais e com os clientes é de “muita verdade”, o que envolve amizade e profissionalismo. “É muito importante acreditar no produto para mostrar o brilho no olho quando falamos dele”, destaca.

Gerente da Mac, Andréa Zeitune conta que a convivência entre funcionários e arquitetos acaba criando um grande círculo de amizades. “É tanta sintonia que saímos juntos, almoçamos e até viajamos. Eu acho que o diferencial está em não olhar para o cliente como uma venda, mas como uma pessoa”, diz ela. O clima é tão agradável que Andrea conta que alguns profissionais acabam passando o dia na loja. “No mês passado fomos ao casamento de um arquiteto com uma cliente. Hoje tenho mais amigos do meio do que de outros lugares”, conta.

Rosane Vieira, gerente da Breton Actual, também cita as viagens e os lanches que os profissionais fazem na própria loja como exemplo da relação amistosa que desenvolvem. “O arquiteto pra nós é uma pessoa muito importante, que nos indica. Os vendedores são treinados para jogar tapete vermelho e acabam sendo ouvintes do próprio profissional, de coisas pessoais da vida dele. Com isso criamos afeto e carinho por ele”, diz ela, que conta que já fez viagens de trabalho com profissionais que acabaram gerando passeios muito agradáveis.

Arquiteta de formação, Patricia Junqueira, da Santa Mônica Tapetes, já conhecia alguns profissionais dos tempos de faculdade, o que aumenta a relação de amizade. “Estou na loja há 13 anos e sou gerente, mas já fui vendedora e RP. Tenho muito prazer em trabalhar nesse universo e gosto de atender bem as pessoas”, revela. Patricia conta que o convívio diário com os profissionais gera uma troca de conselhos tanto profissionais quanto pessoais. “Falamos de dicas de viagens, nos consolamos. O trabalho e essas amizades foram fundamentais quando minha mãe faleceu, por exemplo. Não é apenas um profissional comprando com você, mas um amigo”, finaliza.

Fotos de Divulgação