Em sua 7a edição, a Artefacto Rio abriu, no último sábado, dia 2, sua mostra anual com 19 ambientes criados por 24 arquitetos e designers de interiores, que refletem o tema “lugares e desejos”. Fiquem agora com as inspirações de cada profissional e os destinos turísticos homenageados e retratados em seus espaços:

Espaço das arquitetas Cristina Bezamat e Laura Bezamat

A proposta das arquitetas foi criar um ambiente que representasse as características da estética marroquina. Ninguém menos que Yves Saint Laurent se encantou pelo Marrocos a ponto de lá ter uma residência com um jardim icônico, chamado Majorelle, que hoje é aberto aos turistas. A relação do estilista com o país foi uma das principais inspirações para o projeto. Foi imaginando um casal recém-chegado de viagem que Cristina e Laura Bezamat criaram o “Ryad Artefacto”, que traz elementos do país africano junto com traços despojados e contemporâneos. As paredes de tijolo cru e os tapetes que adornam o espaço remetem à areia avermelhada do deserto e à cor ocre, da arquitetura local. As estampas na parede lembram o desenho típico dos azulejos marroquinos, assim como as largas faixas de tecido no teto, lembrando o interior das tendas árabes. Tudo foi detalhadamente pensado para criar a atmosfera intimista e aconchegante de um Ryad. Confortáveis chaises em tecido linho branco foram colocadas num deck, inspirados na área externa de famosos hotéis de luxo de Marrakech, como o Lá Mamounia. Para lembrar as acomodações de um acampamento no deserto, as arquitetas apostaram na cama Toulon, com um elegante dossel, o banco Annam e a cômoda Ferrat, mostrando como as memórias de viagens podem ser integradas ao lar contemporâneo.

Espaço do Alexandre Cardim

O arquiteto homenageia nossa cidade maravilhosa projetando, num quarto de casal, um ambiente sofisticado de 56 m2. Num momento que o Rio de Janeiro serve também de inspiração para muita gente, Alexandre se inspira no Rio contemporâneo unindo a natureza aos novos projetos arquitetônicos da cidade, através da madeira e do concreto. A cor laranja nas chaises revelam uma breve alusão ao calor carioca e contrastam com as cores escuras do ambiente, deixando-o mais aconchegante. No espaço, o Rio de Janeiro também foi contemplado com peças da designer capixaba Ana Paula Castro. Diante de todo o conceito do projeto, o surfista e carioca Rico de Souza faz parte da homenagem, por ser uma emblemática no Rio, e por seu amor ao esporte.

Ambiente da arquiteta Ana Lúcia Jucá

Ana Lúcia se inspirou em Bali e criou um ambiente descontraído e sofisticado de 110m2 à altura dos melhores resorts da Indonésia. Em tons claros, os papéis de parede remetem a pedras e o tapete, em tom de areia, foi desenvolvido pelo próprio escritório da arquiteta, transmitindo um clima fresco e praiano como as praias asiáticas. O despojamento praiano também aparece no biombo de madeira escura executado pela marcenaria Móveis Rigoti, enquanto o toque oriental no mobiliário é representado pelas cadeiras Root e a mesa de jantar Indian. O desfecho ficou por conta de velas e música balinesa para criar o clima de uma rápida “viagem” a Bali.

Espaço das arquitetas Claudia Pimenta e Patrícia Franco

Claudia e Patrícia se inspiraram na cidade de Bellagio na Itália, às margens do Lago de Como – o encantador vilarejo foi cenário para o romance de estreia das aventuras do agente britânico 007, Cassino Royale, que virou filme há exatos 10 anos, em 2006. Em referência a essa curiosidade, a dupla concebeu o espaço, de 82,24 m2 (um loft com quarto e sala integrada), em homenagem ao charmoso James Bond interpretado pelo ator Daniel Craig. Para isso, elas apostaram em cores sóbrias, com uma cartela de tons cinza e elementos em preto e branco. As variadas texturas nos papéis de parede e nos tapetes, com diferentes padronagens conferem o aconchego e o clima intimista que se espera da morada do personagem mais famoso de Ian Fleming.

Ambiente da arquiteta Claudia Santos

Idealizando uma atmosfera de um quarto à beira-mar em Key West, Claudia apostou nesse destino, que além de ser inesquecível, inspirou escritores entre os quais destaca-se Ernest Hemingway, que ali viveu nos anos 30. A partir do tema e do personagem, a arquiteta desenvolveu o ambiente utilizando uma paleta de cores refrescante que remete às praias do Sul da Flórida, variando o azul bic ao tiffany e passando pelos tons de areia e brancos com alguns toques de vermelho. No piso, um mosaico composto de um cimentício hexagonal é um porcelanato português Pavigres, ambos desenvolvidos com exclusividade para a mostra. No clima do ambiente, também foram utilizadas janelas em lambris articuláveis, remetendo uma vez mais às construções típicas das Keys.

Ambiente da arquiteta Mônica Gervásio

Mônica se inspirou na Califórnia para criar seu espaço. Os tons neutros, cinza, branco e preto se aquecem com o de madeira claro no ambiente de jantar, dando aconchego com a ambientação de livros, objetos de decoração e fotos de lugares de Los Angeles. Detalhe para o sofisticado painel de madeira em diferentes tons na sala de jantar. Para dar um clima mais intimista à parede que se encontra imediatamente atrás do sofá Coquille do Estar, duas estantes Zaslon em madeira escura com acabamento em aço de cor Urano foram embutidas, buscando uma simetria a este Estar, que é quebrada pelo cantinho dedicado à música, com um piano de armário na cor preta dando mais personalidade ao ambiente. No espaço oposto estão dispostas lado a lado duas poltronas Megan e seus respectivos pufes sobre um tapete de pele de bicho, que compõem com as referidas imagens da Califórnia ao fundo.

Ambiente dos arquitetos Fábio Bouillet e Rodrigo Jorge

O destino escolhido pela dupla foi Miami. O design cosmopolita da cidade inspirou a criação de um lounge com monocromia, decoração limpa, texturas e versatilidade, que poderia ser um restaurante, um hotel, mas está dentro de uma loja. Logo na entrada existe um painel fotográfico com uma cena emblemática de uma sala cubana, recepcionando o visitante e guarnecendo o bar. Logo em seguida, mesinhas altas para um drink junto à bancada e mais à frente pôde-se ver uma grande mesa de jantar que poderiam ser utilizadas para reuniões e jantares. No outro canto, um grande sofá em formato de “L” para um papo mais descontraído. Num clima de design cosmopolita e elegante de Miami, os arquitetos apostaram ainda na existência de poltronas soltas pelo lounge que permitem variadas arrumações e na parte mais reservada, banheiros remodelados com um pouco de cor. “Não queríamos fazer uma abordagem óbvia sobre Miami, fugimos do Art Déco e das cores vibrantes tão associadas a ela e partimos para uma leitura de como é a nova arquitetura que está se implementando por lá”, afirma a dupla. O espaço é também um convite para um happy hour e um momento para o executivo relaxar após o expediente do escritório. Nada melhor do que tomar um drink após um dia produtivo e desfrutar de momentos de reflexão com as frases do fotógrafo Marcio Zardo: “insituável, inconfessável, intraduzível, indisponível”.

Espaço do arquiteto Guilherme Osborne

Por ser uma cidade extremamente contemporânea “up to date”, sem perder suas raízes e tradições, o arquiteto escolheu Tóquio. Para representar esse espaço, Guilherme homenageia o estilista Kenzo Takada, que foi um dos precursores do Japão contemporâneo globalizado. 2016 vem trazendo as cores rosa, nude e cinza claro como grande tendência no mundo do design, e por esta razão surgem em grande estilo neste espaço. Para representá-las, foram adicionados papéis de parede em 3D da Orlean harmonizando com as lacas autobrilho dos móveis da Artefacto. Outra grande tendência são as cerâmicas hexagonais utilizadas no piso. Em toda casa japonesa existe um espaço com painéis divisórios forrados com tecido e iluminação, por dentro, dando uma releitura aos tradicionais biombos.

Espaço da arquiteta Joy Garrido

O lugar homenageado pela arquiteta para sua decoração inspiradora foi St Barth- Caribe, idealizado em um quarto claro como se estivesse sobre a areia, pincelado com aqua das águas da praia de Governeur, e marcado pelo calor do laranja paprika, a cor do pôr do sol. Tudo é despretensioso, mas generoso em dimensões que permitem a cama gigante, escrivaninha solta flutuando, o grande sofá com chaise para hora do relax e da apreciação da natureza que envolve e celebra a vida.

Ambiente da arquiteta Leila Dionizios

O cantor e ativista Bono Vox é homenageado neste espaço projetado pela arquiteta, que escolheu a Irlanda, se fazendo presente através da paleta de cor sóbria e neutra, de tons acinzentados. Contrapondo os tons frios e aquecendo o ambiente, foi utilizado um painel em madeira(freijó lavado). A curadoria, feita por Sérgio Gonçalves, elegeu como obra principal o grafite de Luiz Carlos Carvalho, no estilo Street Art. A peça é baseada em uma foto do cantor de olhos vendados com a palavra Coexist. O artista utiliza o grafite como forma de protesto e a luta por mudanças e mais tolerância entre as classes menos favorecidas, exatamente como Bono Vox sonha, prestando assim homenagem à porção ativista do cantor. As fotos compõem o acervo e remetem à mais alta tradição irlandesa e sua dança, que é famosa no mundo inteiro graças ao Grupo Lord of Dance e Riverdance. Leila personificou Bono Vox através deste projeto de estilo contemporâneo, utilizando móveis imponentes e marcantes como a mesa de centro Nepal, o baú Lohan e a poltrona Belgravia.

Ambiente da designer de interiores Paola Ribeiro

O ambiente de 100m2 criado por Paola foi inspirado no balneário de Hamptons, nos arredores de Nova York. A proposta foi criar uma sala bem confortável e ampla, sem perder a sensação de frescor e aconchego, típica da decoração daquela região. Para isso, foi usada uma paleta de cores reduzidas, baseada em tons mais neutros, como branco, bege em tons de fibra e madeira. Ainda na atmosfera do balneário americano, elementos como a lareira forrada com seixos e o teto de lambri, com vigas aparentes, deram o toque de sofisticação. As paredes foram forradas com lambri branco e a escolha bem selecionada dos móveis deram q um mix de elegância e despojamento, através do uso de materiais naturais.

Espaço das arquitetas Regina Tavora e Vera Miquelotti

As Ilhas Gregas servem de inspiração para o ambiente assinado pela dupla. O mobiliário escolhido somado a uma pequena variação de texturas naturais e cores possibilitou encontrar o equilíbrio adequado para imprimir a satisfação e os prazeres de contemplar a beleza das margens do mar Egeu. A mobília clara recorda a morada típica dos gregos, além da peça Santorini, do habilidoso Maestro Yanni, para então mesclar o clássico e o Contemporâneo. Por remeter ao conceito de simetria presente nas artes, apenas nas do fundo existem as duas molduras Havana de espelho Prata e duas colunas laterais, também espelhadas. O sofá do living foi composto pelo módulo Austral colocado no centro do ambiente de frente para a janela como um convite para se debruçar sobre o prazer de viver a natureza. Junto a ele se somam a mesa de centro Groot e o tapete de azul intenso, que de forma alegórica se exibe no centro do ambiente como o mar.

Ambiente da arquiteta Roberta Devisate

A decoração do espaço de Roberta foi inspirado no charme de Capri. O projeto compreende três ambientes planejados em perfeita sintonia, traduzindo o clima acolhedor do balneário. Assinando o maior espaço da mostra (180 m2), a arquiteta trabalhou na escolha dos revestimentos e complementos para compor o projeto, buscando reforçar elementos do balneário tão famoso pela estética sofisticada e elegante. O estilo italiano se reflete nos detalhes refinados, nas composições de azuis e brancos que nos remetem à brisa constante do mar Tirreno e suas águas cristalinas. Os tapetes Avanti são parte importante na composição dos ambientes. As estampas dos modelos IKat e Colin são fluidas, com efeitos manchados, em perfeita sintonia com a leve simplicidade e charme de Capri.

Espaço da arquiteta Roseli Müller

Roseli preparou um ambiente com inúmeras referências das vizinhanças da Villa Petrischio. Se no passado, a escolha para os visitantes seria a ideia da posse pelo que representava os “Borgos”, hoje é sinônimo de descanso e sofisticação, com a ideia do must have das celebridades internacionais que escolhem a região pelo encantamento de suas vilas. O destaque e a homenagem são para o ator Richard Gere que possui uma vila próxima ao templo budista, o Instituto Lama Tzong Kapa, localizado nas vizinhanças. “Ao chegar na Villa Petrischio, já sentimos o aroma da oliva, do manjericão, do alecrim, dos óleos espetaculares, do Fungi e dos produtos. Com essa profusão de sensações, preparamos um ambiente que transportará os visitantes para uma sala de uma dessas vilas, fazendo referência ao terroir, a culinária, aos seus aromas e cores” – afirma Roseli Müller. Cortinas em tecido de alfaiataria cinza, vinho e off white com pequenas franjas de seda (Chacur) formam a moldura das janelas e a composição da parede de 6 m de altura. As paredes foram revestidas com papel em padrão linho levemente desgastado pelo tempo na mesma cor das cortinas. A arquiteta apostou num grande lustre com 18 cúpulas, instalado no centro do ambiente, onde faz a releitura de um grande Chandelier, com construção arrojada e sustentado por cabos de aço. Os quadros emoldurados com peças antigas fazem a grande pinacoteca do colecionador. Organizados sobre o mesmo tecido de veludo das cortinas, Roseli posicionou os quadros de Santo Antônio, São Arcanjo, Nossa Senhora da Aparecida, Cordeiro de Deus, Sagrado Coração de Jesus e São Sebastião. Uma proteção que só poderia mesmo estar na entrada, na vitrine da Artefacto.