O caderno Ela informou em reportagem: “Não é de hoje que o ovo inspira os designers. Dos de Fabergé, obra-prima da joalheria, à poltrona Egg, desenhada pelo arquiteto e designer Arne Jacobsen, na década de 50. Na decoração, aparece como peso de papel, relógio, porta-joias e até como…porta-ovos. A lista é enorme, já que no design o ovo nunca foi vilão. Na alimentação, quem diria, deixou de ser o culpado pelo colesterol alto. Já faz um tempinho que foi liberado pelos cientistas da Universidade de Surrey, no Reino Unido. Mais: é um aliado da boa memória. Outra novidade? Foi estudado por pesquisadores do Instituto Leiden para o cérebro e cognição, da Holanda. A trupe científica descobriu que um composto encontrado nos ovos torna as pessoas mais receptivas à caridade. Ovo, esse mocinho!”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Ela/Reportagem: Suzete Aché/07/02/15