A coluna de Ancelmo Gois publicou em nota: “Projetado por um timaço de arquitetos — craques como Oscar Niemeyer (1907-2012), Lúcio Costa (1902-1998) e o franco-suíço Le Corbusier (1887-1965), o “pai” do modernismo que foi consultor neste trabalho —, o Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio, foi construído entre 1937 e 1945 com o conceito de “permeabilidade”, como explica a diretora de Cultura do IAB-RJ, Cêça Guimaraens. Quer dizer o seguinte: com aquele térreo com pilotis, aberto, é possível ver — e passar — de um lado ao outro do quarteirão. “É quase uma praça”, destaca o presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura, Vicente Giffoni. Nela, estão os jardins de Burle Marx (1909-1994), as esculturas de Bruno Giorgi (1905-1993)… Mas um estacionamento de motos acabou com a festa dos pedestres. É pena”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Ancelmo Gois/13/05/15