A cidade colonial brasileira de Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro, está entre os 36 candidatos de todo o mundo neste ano a se tornar Patrimônio Mundial da Unesco e a decisão será divulgada entre  os próximos dias 5 e 6 de julho..

 Em 2009, ao chegar na última etapa da avaliação, a candidatura foi rejeitada. Dessa vez, a região apresentada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) engloba também parte do território de Angra dos Reis e Ubatuba. Seis sítios naturais, 28 culturais e dois mistos podem juntar-se esta semana em Baku, capital do Azerbaijão, aos mais de 1.092 locais em 167 países que já beneficiam deste título concedido por seu valor universal excepcional.

Um patrimônio da humanidade é um local considerado relevante para o mundo inteiro – independentemente de sua localização. Anualmente, apenas uma candidatura por país pode ser apresentada. Neste ano, entre os candidatos estão: Santuário Bom Jesus do Monte (Portugal), Babilônia (Iraque) e a Cidade Submersa de Porto Real (Jamaica).

Na cerimônia de abertura do Comitê do Patrimônio Mundial, realizada no domingo, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, elogiou o entusiasmo que existe pelo patrimônio e “sua excepcional capacidade de unir as pessoas”, segundo um comunicado.

Entre os sítios culturais que estão a um passo de ser consagrados destacam-se a Rota Transístmica do Panamá, que de acordo com a Unesco desempenhou um papel central no sistema colonial espanhol nas Américas a partir do século XVI, a paisagem cultural de Risco Caído e as montanhas sagradas de Gran Canaria, na Espanha.

Despontam também obras do aclamado arquiteto americano Frank Lloyd Wright, um dos principais mestres da arquitetura do século XX, a cidade submersa Port Royal na Jamaica e os vestígios arqueológicos da cidade de Liangzhu, na China.

Fazer parte desta prestigiosa lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) pode aumentar o turismo e facilitar a obtenção de ajuda econômica para a sua conservação.

O comitê também examinará o estado de conservação daqueles que já compõem a lista. Cinco deles poderiam ser transferidos para a categoria “patrimônio em perigo”, incluindo as Ilhas e Áreas Protegidas do Golfo da Califórnia, no México.

Se este grupo de ilhas, ilhotas e áreas costeiras localizadas no noroeste do México entrar nesta lista deverá fazer mais esforços em termos de conversação da fauna marinha, particularmente da vaquita marinha, uma espécie endêmica desta zona.