Do Palácio do Congresso Nacional, com passagem pelo telhado do Teatro Popular Niterói até a construção com maior vão livre do mundo, Pedro Barros e Murilo Peres tornaram o sonho dos skatistas brasileiros em realidade: dropar as linhas e curvas únicas das obras de Oscar Niemeyer. De modo inédito no País, os atletas registraram as manobras pelas construções do maior arquiteto brasileiro da história no mini-documentário especial “Sonhos Concretos: O Skate Encontra Niemeyer” (15min), que começou nesta última quarta-feira (10), pela Red Bull TV.

A ideia do projeto surgiu anos atrás. Com família em Brasília, Pedro Barros cresceu vendo muitas obras de Niemeyer e imaginando como seria andar de skate sobre elas, assim como muitos outros skatistas brasileiros que um dia tiveram contato com essa arquitetura.

Com passagem por uma das obras arquitetônicas mais influentes do século XX, os skatistas puderam realizar manobras únicas no Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Com 16 metros de altura e sustentado em uma única base, a obra foi inspirada em uma flor de lótus e as suas linhas parecem se encaixar em toda a natureza ao redor. “Se eu fosse um arquiteto e pudesse desenhar obras, faria apenas tudo que fosse ‘skatável’, para conseguir andar em tudo. De certa forma, Niemeyer fez isso há muitos anos. São tantas linhas, tantas curvas… parece que ele andava de skate e não sabia”, diz Pedro Barros durante sua passagem pelo Rio de Janeiro.

O documentário começou a ganhar forma quando a Fundação Oscar Niemeyer autorizou Pedro Barros e Murilo Peres a darem um ‘rolê’ por museus e edifícios de seu criador – algo até então inédito. “A proposta de interação entre os skatistas brasileiros e a obra de Oscar Niemeyer desde o início nos pareceu uma ideia incrível. Antes de tudo, existe uma forte identidade entre o universo deste esporte e a arquitetura de Niemeyer e seus valores. A irreverência, a liberdade, a busca por desafios, a criatividade em cada movimento, tudo isso está na essência do skate, assim como na obra de Niemeyer, feita de curvas e gestos livres, bela e surpreendente, assim como um ‘rolê’ de skate”, afirma Carlos Ricardo Niemeyer, Superintendente Executivo da Fundação.

Com passagem também pela capital paulista, onde o skate já chegou a ser proibido na década de 1980, os atletas visitaram o Pavilhão da Bienal e compararam a arte de Niemeyer com o skate. “Normalmente, quem frequenta a Bienal, é para participar de exposição de arte. Você adentra o Pavilhão, começa a ver cada detalhe dessa obra e, da mesma forma que um artista tem um pincel e pinta um quadro em branco, o skatista também busca isso”, conta Murilo. “A linha que a gente desenha no chão, as curvas pelas pilastras, isso expressa um pouco da nossa arte e do nosso movimento”, completa Pedro, em um dos trechos do documentário.

Repletas de curiosidades e conexões com o esporte, algumas das obras foram construídas de concreto armado, uma das principais marcas da arquitetura de Niemeyer, e mesma técnica utilizada, atualmente, para construção de pistas de skate. “A arquitetura que fez o skate tomar novos rumos e expandir. O skate só descobriu que uma rampa era legal para andar, depois que ele encontrou, na rua, uma transição. E vivenciar isso andando de skate nas obras de Niemeyer foi um sonho, nunca imaginei que seria possível. É incrível o quanto ele contribuiu para o skate mesmo sem saber disso. Cada momento foi inesquecível”, completa Murilo Peres.

Gravado entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, o documentário passa pelas principais obras do arquiteto no Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Brasília (DF), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). Histórico, o conteúdo, que atrela a beleza das obras à plasticidade do esporte, foi dirigido por Hugo Haddad e está disponível gratuitamente, pela internet.

Ao final das gravações, todas as obras passaram por um processo de reparo. Para assistir ao documentário e acompanhar de perto as sessões de skate e tudo que envolveu este feito, basta acessar: https://win.gs/3dzAITV

SERVIÇO

Sonhos Concretos: O Skate Encontra Niemeyer 
Onde assistir: No site da Red Bull TV, por meio do link: https://win.gs/3dzAITV ou no aplicativo, disponível para AndroidiOS, Smart TVs, PS4 e Xbox One, com suporte ao Chromecast e Airplay.
Duração: 15 minutos
Direção: Hugo Haddad
Produção: Red Bull TV