Funcionando como uma dupla de criação, Ricardo Melo e Rodrigo Passos afirmam que trabalhar em parceria traz muitas possibilidades. Em entrevista ao Radar Decoração, eles contam sobre os projetos atuais, carreira e contam que seu estilo de trabalho é fruto de muita pesquisa e uma boa dose de feeling.

RD: Por que vocês escolheram essa profissão?
R.M: Na verdade, costumo dizer que foi ela que me escolheu. Sempre tive curiosidade por obras e me lembro que uma vez estava fazendo trabalho de colégio na casa de uma amiga e a irmã dela era arquiteta. Vimos alguns desenhos e pensei logo: “é isso que eu quero fazer”.

 

RD: Como vocês definem seu estilo de trabalho e como foi o caminho que percorreram para desenvolvê-lo?
R.M e R.P: Definimos nosso estilo como contemporâneo e descontraído. Nosso caminho foi trilhado através de muita pesquisa aliada a uma boa dose de feeling. Acredito que esse é um dos nossos diferenciais.

 

RD: Quais são as vantagens de trabalhar em dupla? Vocês dividem o trabalho de alguma forma específica?
R.M e R.P: Funcionamos como uma dupla de criação. Essa é uma das grandes vantagens. Mas também tem outras questões, claro. Nossa parceria possibilita a divisão de responsabilidades, otimização no atendimento, dispensar mais atenção aos projetos. Mesmo tendo uma divisão hoje estabelecida, o Ricardo atende mais os clientes e o Rodrigo fica na supervisão das obras.

 

 

RD: De onde vem a inspiração?
R.M e R.P: Nesse quesito, cada caso é um caso. No entanto, é condição sine qua non, antes de qualquer trabalho que fechamos, primeiro entender o conceito, captar exatamente o que o cliente quer, para depois amarrarmos o projeto. Nessa primeira fase, somos quase analistas.

 

RD: Qual o estilo das suas casas? O que vocês gostam de ter nelas?
Ricardo: Definiria meu apartamento como um contemporâneo ousado. Gosto de peças de design com cor, curto muito o estilo anos 50, além de misturar bastante artistas da nova geração com arte popular.

Rodrigo: Sou um pouco mais conservador. Meu estilo é contemporâneo, mas extremamente clean. Invisto em peças de design nacional com linhas mais comportadas.

 

RD: Que projetos estão fazendo atualmente e gostariam de destacar?
R.M e R.P: Além do projeto do Wine Bar da Casa Cor deste ano, que estamos adorando executar, tem um escritório na Barra, desenvolvido para uma crítica de cinema, que está tomando forma, ficando bem interessante. E outro espaço corporativo, com 700 metros quadrados, feito para uma empresa de geradores. Esse segmento está ficando forte no nosso escritório e nos interessa bastante como novo desafio.

 

RD: Algum projeto que sonham em fazer e nunca fizeram?
R.M e R.P: Ah, sem dúvida um hotel design!

 

RD: Quem são seus designers de mobiliário favoritos?
R.M e R.P: Podemos listar vários, mas admiramos muito Sérgio Rodrigues, Tenreiro, Carlos Mota e Fernando Jaeger.

 

RD: Forma, função ou emoção?
R.M e R.P: Forma com emoção. Não dá para dissociar.

 

RD: Qual o maior aprendizado nos anos de profissão?
R.M e R.P: Saber colocar o nosso ponto de vista logo no primeiro contato com o cliente. Isso é importante. Vai aprimorando a experiência no sentido de saber discernir certo e errado com autoconfiança. O gosto estético também vai ficando mais apurado.