A Biblioteca Nacional, o Instituto Moreira Salles, a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Itaú Cultural assinaram hoje, dia 2 de maio, na Biblioteca Nacional, o convênio para a criação do site brasilianaiconografica.art.br. O portal será o primeiro da internet a reunir as principais coleções brasilianas do país e a disponibilizar seu conteúdo e informações sobre a iconografia para o público. O lançamento da plataforma está previsto para março de 2017, contando inicialmente com duas mil obras.

O conteúdo de brasilianaiconografica.art.br não só dará acesso às imagens em alta definição de cada coleção, como também trará informações detalhadas sobre as obras: origem, temas, histórias e ampla ficha catalográfica. Os trabalhos de cada autor serão lincados, ainda, aos respectivos verbetes dos sites das instituições envolvidas, inclusive da Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais.

O projeto pretende aumentar o intercâmbio entre as instituições e aprimorar os processos de catalogação destes acervos históricos. Inicialmente com 2 mil obras das quatro instituições, o site será periodicamente atualizado e ampliado com novas imagens. A ideia é que outras coleções e instituições possam participar e também disponibilizar seus acervos.

Entre as obras a serem disponibilizadas, “Índios da Amazônia adorando o Deus-Sol”, de François Biard, “Vues du Brésil”, um papel de parede de 15 metros baseado em gravuras de Johann Moritz Rugendas, e um conjunto de desenhos em nanquim de Karl von Planitz para o álbum “12 vistas do Rio de Janeiro” são alguns dos itens do acervo da Pinacoteca para consulta virtual. O Itaú Cultural colabora com “Panorama da cidade de São Paulo”, do francês Armand Julien Pallière, pintado por encomenda do imperador d. Pedro I, e “Vista panorâmica da baía de Belém do Pará”, obra pintada em 1870 por Joseph Léon Righini.

A Pinacoteca do Estado de São Paulo contribui com o óleo sobre tela “Rio de Janeiro” (1844), de Alessandro Ciccarelli, e “Revista das tropas destinadas a Montevidéu, na Praia Grande” (c. 1816), óleo sobre cartão colado sobre tela, de Jean Baptiste Debret, uma das primeiras pinturas de Jean Baptiste Debret, realizada no ano de sua chegada ao Brasil. Dos mais de 200 autores, entre pintores, desenhistas, gravadores e editores do acervo do IMS, encontram-se nomes caros a estudiosos da iconografia nacional, como Briggs, Cicéri, Martinet, Von Martius, entre outros, e autores pouquíssimo conhecidos, como Marguerite Tollemache e Franz Joseph Frühbeck, que permitem ampliar os estudos sobre o período. A Coleção Olavo Setubal reúne 2.529 itens, desdobrados em cerca de 5 mil iconografias – de pinturas do Brasil holandês até as primeiras edições dos mais conhecidos álbuns iconográficos produzidos durante o século XIX sobre o país. Contém, ainda, livros de artistas ilustrados do século XX, obras de arte, objetos, cartografias, documentos manuscritos.

Assim, o público encontrará no ambiente digital algumas peças fundamentais da iconografia brasileira, produzidas desde a chegada dos artistas viajantes ao país no século XVI.