A partir desse mês, foi dada a partida nas obras do Museu do Amanhã, no Pier Mauá. Assinado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, o projeto é uma das âncoras do Porto Maravilha, iniciativa da prefeitura que pretende revitalizar toda a zona portuária carioca. O espaço bacana, dedicado às ciências, foge dos padrões dos tradicionais museus de História Natural e Tecnologia. O ambiente ali privilegiará a experimentação e o visitante poderá interagir com o acervo, que pretende abordar temas como clima e crescimento/diversidade populacional, vislumbrando possibilidades para o futuro do planeta. O prédio, de 15 mil metros quadrados, é um espetáculo à parte e segue a cartilha da sustentabilidade em sua essência: por exemplo, a água da Baía de Guanabara vai contribuir para diminuir a temperatura do interior do museu e seu manancial será usado no espelho d´água previsto no entorno do prédio. Outra ação é a captação de energia solar. O Museu do Amanhã vai buscar a certificação LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental), concedida pelo Green Building Council (USGBC). O paisagismo é do escritório de Burle Marx. A inauguração está prevista para o primeiro semestre de 2014.