Segundo nota da coluna Histórias Cariocas, “Em foto dos anos 80, há o belo relógio — que ainda funciona normalmente — da fábrica de chocolates Bhering, em Santo Cristo, desativada há doze anos. Desde então o prédio de 1934 tem sido usado como locação de filmes (como Olga) e serve de ateliê para artistas plásticos. Famosa pela bala Toffee e por achocolatados em pó, a empresa, hoje sediada em Minas Gerais, vem se preparando para criar no local o Instituto Bhering. A ideia é aproveitar seus 17 000 metros quadrados para fomentar a cultura. Mas a iniciativa depende da Justiça, que ainda neste ano pode ou não anular o processo de leilão do imóvel, que se arrasta desde 2011, após a execução da firma por dívidas tributárias”. Leia mais na Veja Rio.
Fonte: Veja Rio/ Histórias Cariocas/ 06/02/13
http://vejario.abril.com.br/edicao-da-semana/historias-cariocas-732557.shtml