A Revista publicou em reportagem: “Numa mesa de dez metros de comprimento, as pessoas leem diante de uma janela com vista para o Pão de Açúcar. São clássicos como “Debret e o Brasil” e “Madame Bovary”. Os títulos em francês fazem parte de um acervo de 20 mil exemplares, entre livros e peças digitais, da biblioteca do consulado da França, no Centro, que passou por uma reforma que durou dois anos. Este mês, o espaço, remodelado com toque de design contemporâneo, foi inaugurado como A Maison. O local respira silêncio até que as arquitetas Julia Abreu e Ligia Tammela, que assinam o projeto, adentram o salão de 780 metros quadrados e, discretamente, na medida do possível, arrastam uma poltrona para cá, uma luminária para lá. Arrumam tudo milimetricamente”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Revista O Globo/Reportagem: Carolina Ribeiro/20/03/16