Segundo matéria do caderno Rio, “Villa-Lobos e Pixinguinha se encontrarão na Lapa, no vaivém de músicos que serão retratados no novo gradil da Escola de Música da UFRJ, na Avenida República do Paraguai, que passa por uma grande reforma, incluindo a recuperação de dois prédios centenários que integram o complexo e a construção de um novo edifício. Para idealizar o mobiliário, que vai mudar a paisagem daquela região do Centro, foi convidada a designer Bitiz Afflalo e o ilustrador Rafael Fonseca, responsável pelos desenhos de mestres da música, que já estudaram no lugar, retratados em chapa galvanizada. A ampliação do conjunto arquitetônico, noticiada por Ancelmo Gois, em sua coluna no GLOBO, faz parte da comemoração dos 165 anos da instituição. As obras, que custarão R$ 15 milhões, serão concluídas em dois anos. O novo prédio começará a ser construído depois e deve ficar pronto em 2019. Ele terá oito andares de salas de aula para melhorar a vida dos cerca de mil alunos que se espremem hoje nos dois prédios existentes, onde há apenas um banheiro. Atualmente, não há tratamento acústico no espaço onde salas de concerto convivem com áreas administrativas. — A ideia de ilustrar o gradil com pessoas passando surgiu porque, como vamos abrir uma entrada do prédio anexo para a República do Paraguai, e o novo também será voltado para lá, pensamos em movimentar aquela calçada, hoje em dia muito erma — conta a arquiteta Andrea Borde, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, que coordena o projeto”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Reportagem: Paula Autran/16/10/13