De acordo com matéria do caderno Rio, “berço da cidade e lugar de onde ela começou a se expandir, o Centro e seu casario histórico completam 30 anos de preservação com planos de futuro. Primeira Área de Proteção do Ambiente Cultural (Apac) da cidade, o Corredor Cultural — regulamentado por lei em 1984 — inovou ao preservar um conjunto arquitetônico de 1.600 imóveis (que não podem ser modificados) e colocar sob tutela (ou seja, qualquer mudança precisa ter autorização prévia) 1.400 nos arredores da Lapa e das praças Quinze, da República e Tiradentes. Três décadas depois, o desafio agora é levar vitalidade a essa área de 1,3 milhão de metros quadrados, onde o fervilhar dos dias úteis contrasta com o esvaziamento dos fins de semana”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Reportagem: Isabela Bastos/03/08/14