Publicada no Diário Oficial do Estado, ontem 14/10,  a lei n. 8564/2019, sancionada pelo governador Wilson Witzel, que declara a Fundição Progresso, na Lapa,  Patrimônio Cultural  Imaterial do Estado do Rio de Janeiro.  A famosa casa de shows e eventos, situada no coração da Lapa, no centro do Rio, ganha seu devido reconhecimento da Assembleia Legislativa. O projeto é de autoria dos deputados Gustavo Tutuca (MDB) e Renan Ferreirinha (PSB).

Em 1982, um grupo de vanguarda na cultura e no entretenimento carioca, que já vinha revolucionando a cidade desde os anos 1970 com a criação da companhia teatral Asdrúbal trouxe o Trombone e, mais tarde, o Circo Voador, decidiu lutar contra a demolição de uma desativada fábrica de fogões e cofres na Lapa, imóvel de grande valor histórico. A resistência deu certo, a antiga fundição foi preservada, reconstruída, modernizada e é hoje o mais inquieto e inclusivo polo cultural do Rio de Janeiro.

Seu funcionamento, história e capacidade de produção artística e socio ambiental, é um modelo único e inspirador para todos os que passam, frequentam e convivem no local, e um irradiador de costumes e cultura no Estado do Rio de Janeiro e no país.

Desta forma, a FUNDIÇÃO DE ARTE E PROGRESSO, responsável pela história e pela gestão deste centro cultural, merece ser reconhecida como Patrimônio Imaterial do Estado do Rio de Janeiro