Nos próximos dias 6 e 7 de abril, o Museu de Arte Moderna do Rio apresenta o Seminário Internacional Cidade em Transe, que terá a participação de artistas, fotógrafos, curadores, geógrafos, assistentes sociais, historiadores, entre outros profissionais, para discutir a cidade sob vários pontos de vista. O seminário trará ainda diálogos estabelecidos por alguns artistas em diferentes cidades onde tiveram ocasião de trabalhar, com uma atenção especial à cidade do Rio. A entrada é franca.

Organizado pelo MAM Rio e pela pesquisadora italiana Laura Burocco, o semirário terá a participação dos artistas Pablo Ares, Guga Ferraz e Pedro Victor Brandão, do fotógrafo Mauricio Hora, do historiador Claudio de Paula Honorato, da curadora Beatriz Lemos, da assistente social Evelyn Serra Parente, entre outros.

Pedro Victor Brandão

“Perspectivas desafiadoras sobre a questão urbana, para além da esfera acadêmica, têm surgido nos últimos anos em trabalhos de numerosos artistas. Essas práticas, que acabam se envolvendo na concepção e na espacialidade da vida urbana, criam um diálogo entre o material e o imaterial, o objetivo e o subjetivo, o sujeito e o objeto, as ideologias e as representações, procurando formas diferentes de comunicar a experiência urbana”, afirma Laura Burocco.

Guga Ferraz

“A partir do entendimento do espaço que incorpora o quadro físico, e também o mental e o social, os trabalhos apresentam as próprias práticas de ocupação. Nesse sentido, interessa revelar a mútua interferência entre a cidade e o artista; o trabalho e o espectador; entre a realidade e sua representação”, diz Laura Burocco.

Luiz Baltar

No dia da abertura do seminário, às 14h, será lançado o livro “Trajetória: cursos e eventos MAM Rio”, de Elizabeth Catoia Varela, curadora do Departamento de Documentação e Pesquisa MAM Rio. A publicação traz os cursos e eventos realizados pelo MAM Rio ao longo dos 67 anos de existência do Museu, que tiveram grande importância no cenário artístico carioca e nacional. A documentação foi tratada e inventariada a fim de que sua divulgação reforce a missão do Museu e também contribua para futuras pesquisas sobre o cenário cultural da cidade e do país.

Programa:

DIA 6 DE ABRIL DE 2016 – CIDADE MUNDO

14h – Abertura

Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand, presidente do MAM; Mariana Várzea, Superintendente de Museus, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro; Elizabeth Catoia Varela, curadora do Departamento de Documentação e Pesquisa MAM; e Luiz Pizarro, artista plástico e curador de Educação do MAM.

Na ocasião, será lançado o livro “Trajetória: cursos e eventos MAM Rio”, de Elizabeth Catoia Varela.

14h20 – O território da cidade: um convite à ação

A cidade e suas transformações: Produção alienadora e indícios de insurgência, por Álvaro Ferreira

Mapeamento coletivo: o uso de dispositivos gráficos para ativação de práticas colaborativas e relatos críticos sobre os territórios, pelo coletivo Iconoclasistas/ Pablo Ares

16h30 – Diálogos entre Espaços Outros

A garantia de direitos das pessoas em situação de rua, por Evelyn Parente / Secretaria do Desenvolvimento Social do Rio de Janeiro

Cidade e estéticas marginais, por Stanley Vinicius

Apologia à bagunça: Rastros de contramemória na metrópole especulada, por Raphael Soifer

DIA 7 DE ABRIL DE 2016 – CIDADE RIO

14h – Práticas de Ocupação da Cidade

Arte e esfera pública. Arte como gatilho sensível para a produção de novos imaginários, por Brigida Campbell

Projeto Pedregulho: uma experiência de residência, por Beatriz Lemos

O projetor como ferramenta de ação direta, por Coletivo Projetação / Ernesto Fuentes Brito

Imagem e desvios na paisagem, por Pedro Victor Brandão

Arte-intervenção, suportes inusitados, diálogo com equipamentos urbanos e a gentrificação do grafite, por Mario Band’s

16h40 – Entre realidade e representação: a região portuária do Rio de Janeiro

História, memória, patrimônio, escravidão e reparação na pequena África: O caso do cemitério dos Pretos Novos, por Claudio de Paula Honorato

Zona Imaginária, por Mauricio Hora

O Corpo do Processo, por Guga Ferraz

17h30 – Debate | Encerramento Fernando Cocchiarale