O caderno Rio informou em reportagem: “O local serviu de pousada, em 1832, para o naturalista britânico Charles Darwin e, por isso, integra o roteiro turístico, científico e educacional “Caminhos de Darwin”. Construído em 1648, o sítio da antiga fazenda de Santo Inácio de Campos Novos, em Cabo Frio, poderá ser protegido para a eternidade pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O tombamento do casario e de seu entorno será decidido na quinta-feira pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, em Brasília. Um dos principais pontos históricos da Região dos Lagos, a fazenda Campos Novos fica no distrito de Tamoios, às margens da RJ-106. O principal argumento para o tombamento do conjunto é a relação entre a fazenda e a Companhia de Jesus, relacionada ao primeiro período da colonização. O conjunto rural, remanescente de uma antiga fazenda do século XVII (1648) e construída sobre um sambaqui, conta com capela, casa e cemitério. Estes, construídos por volta de 1690, constituem, segundo os pesquisadores do Iphan, importantes e raros exemplares de arquitetura rural jesuítica. Com a expulsão dos jesuítas, em 1759, o bem passou pelas mãos de diferentes donos e sofreu obras, mas que não comprometeram suas características”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Reportagem: Paulo Roberto Araújo/12/05/14