O caderno Ela trouxe em reportagem: “Numa casa onde o conforto fala alto, uma poltrona para chamar de sua é um objeto de desejo quase indispensável. Inspiradas nas bergères dos tempos de Luís XV, as orelhudas de hoje ainda têm as abas laterais no alto do encosto, mas os formatos são os mais variados. Um aconchego que nunca sai de moda”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Ela/Reportagem: Jacqueline Costa/21/12/13