Segundo matéria da Revista O Globo, “Revisteiro, estante, cabideiro, torneira, suporte para iluminação. O bom e velho cano,  incrementado com uma mãozinha de tinta ou simplesmente nu e cru, mostra que pode ser mais do que passagem de água ou  eletricidade, e surge como matéria-prima de estruturas multifuncionais. Nas mostras Morar Mais Por Menos e Casa Cor, atualmente em cartaz na cidade, arquitetos assumem a tubulação aparente em diversos ambientes. É uma alternativa prática, econômica (em alguns casos) e, de lambuja, empresta um clima moderninho ao espaço”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Revista O Globo/ Reportagem: Joana Dale/ 14/10/12