Com 29 anos de profissão, Roseli Müller diz que o maior aprendizado é saber que sempre há muito o que aprender. “Sempre me surpreendo com as possibilidades nos novos projetos. Acho que o próximo será sempre o mais instigante e terei que me superar”, afirma a arquiteta entrevistada pelo Radar Decoração.

RD: Por que você escolheu essa profissão?
R.M: Desde pequena minha mãe chamava a minha atenção para monumentos e construções históricas no Brasil e em outros países. Também tinha, e tenho, muita curiosidade para visitar museus e locais em que a estética e elementos decorativos fossem apresentados. Acredito que as minhas aspirações profissionais nasceram assim.

RD: Como você define seu estilo e como foi o caminho que você percorreu para desenvolvê-lo?
R.M: Iniciei a faculdade nos Estados Unidos, onde cursava Belas Artes com ênfase em Restauração Arquitetônica. Nessa época, morava com minha família. Meu pai representava o Brasil em um cargo público e quando terminou o período de 3 anos voltamos para o Brasil. Nessa época ingressei no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, onde me graduei. Por ter iniciado os estudos em instituição tão importante, os meus conhecimentos se voltaram para o estudo da forma, história da arte e o design através do tempo. A minha linguagem estética sempre em formação é construída a cada projeto, com as informações do cliente e sempre somando conhecimento. 

RD: Como se dão suas escolhas diante de um mercado com tantas fontes e possibilidades?
R.M: Minha escolha é imediata e quase instantânea quando o programa do projeto está bem solidificado.

RD: Como você se informa sobre o mercado de decoração?
R.M: Pelos sites de fornecedores e fabricantes, viagens anuais e revistas nacionais e importadas.

RD: Quais você acredita serem as peculiaridades do mercado carioca? O que falta nesse mercado?
R.M: O Rio de Janeiro tem o mar e o sol como principal fonte de inspiração. Acredito que as peculiaridades sejam as soluções luminosas, coloridas e despojadas, bem ao nosso jeito de ser. O que falta no mercado carioca são as indústrias apostando um pouco mais em produtos para o nosso perfil. Os lançamentos, na maioria das vezes, se concentram em cidades como São Paulo, por ter o maior número de consumidores no segmento de Arquitetura. Já foi bem pior, mas agora como o Rio está “na moda”, muitos clientes de outros estados e países estão apostando em nossa cidade. Acredito que mudanças acontecerão em breve.

RD: Qual o estilo da sua casa? O que você gosta de ter nela?
R.M: Na minha casa sou bem eclética, mas no final o resultado é o mix de tradicional leve com peças de design consagrado. 

RD: Conte um pouco sobre os projetos que está fazendo atualmente?Tem algum que está curtindo especialmente?
R.M: Estou adorando fazer a casa de um casal que vai se casar no próximo ano. Estamos planejando tudo, apartamento, enxoval e até a lista de presentes. Também para o próximo ano estamos com um projeto maravilhoso para retrofit de um prédio inteiro… depois conto o que será com mais detalhes!

RD: Algum projeto que sonha em fazer e ainda não fez?
R.M: Sempre me surpreendo com as possibilidades nos novos projetos quando iniciam. Acho que o próximo será sempre o mais instigante e terei que me superar.

RD: Há quanto tempo está na profissão? Qual o maior aprendizado nesses anos de carreira?
R.M: Estou formada e atuante há 29 anos. O aprendizado é que ainda tenho muito que aprender!!!