Amanhã, quinta-feira, 25 de abril de 2019,  para a família Zanine é dia de comemorar o centenário de José Zanine Caldas. Conhecido como “o mestre da madeira” por conta de seus trabalhos primorosos com essa matéria-prima, suas peças de mobiliário marcaram páginas importantes da história do design nacional, pois promoviam a integração da experiência artesanal brasileira e do movimento moderno de forma singular.

José Zanine Caldas não aprendeu o ofício da arquitetura, do design e do paisagismo em salas de aula. Filho de médico e baiano nascido em Belmonte, optou pela prática como o caminho para atingir a perfeição. O ano de 2019 marca o centenário do modernista, que ganha ocupações em feiras de São Paulo e de Milão. As homenagens buscam aproximação com o legado deixado por Zanine – profissional que transitou em várias áreas e deixou sua marca na história da criação brasileira. A ausência do “diploma” não o impediu de fazer casas, móveis e projetos. Ao longo da carreira, Zanine teve algumas querelas sobre a ausência da formação, sanadas apenas quando o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) concedeu o título de arquiteto honorário. 

 

 

Zanine morreu de enfarte, aos 82 anos em 20/12/2001. Já vinha sofrendo de hidrocefalia e apresentava diversas dificuldades de comunicação e raciocínio. Casado por seis vezes deixou seis filhos, entre eles, o designer Zanini de Zanine Caldas que em seus desenhos tem como inspiração os projetos do pai.