O site da Casa Vogue informou em matéria: “Observar o vão livre do Museu de Arte de São Paulo – MASP tomado por participantes das recentes manifestações populares por um Brasil melhor emociona e faz pensar sobre o caráter libertário da produção de Lina Bo Bardi (1914-1992), autora desse ícone visual da capital paulista. Este ano, a profissional única e de atuação interdisciplinar, cujo legado marca a cultura brasileira, faria 100 anos. “Encaminhamos ao Ministério da Cultura um projeto que, para lembrar a efeméride, prevê desde exposições até a produção de um média-metragem e a reedição de livros sobre sua obra”, conta o arquiteto Renato Anelli, diretor do Instituto Lina Bo e P.M. Bardi. A sede da entidade fica na conhecida Casa de Vidro (1950), construção racionalista idealizada por Lina, no bairro paulistano do Morumbi, para viver com o marido, o historiador e crítico de arte Pietro Maria Bardi, criador do MASP, ao lado de Assis Chateaubriand. Dentre outros projetos, destacam-se ainda o restauro do Solar do Unhão (1963), em Salvador, conjunto arquitetônico do século 17 que abriga o Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM-BA, e o Sesc Pompeia (1977), em São Paulo, antiga fábrica transformada em centro cultural. São espaços eminentemente democráticos”.Leia mais no site.

Fonte: Casa Vogue/Reportagem: Roberto Abolafio Junior/02/04/14

http://casavogue.globo.com/Arquitetura/Gente/noticia/2014/04/cem-anos-da-arquiteta-democratica.html