A coluna Em casa, por Marcia Müller, informou em nota: “Quando a luminária serve mais para pequenos detalhes do que para iluminar de verdade, o ambiente fica teatral, “descolado” e também calmo. Cada vez mais, deseja-se uma atmosfera intimista dentro de casa. Não existe nada mais relaxante que pouca luz . A intensidade de luz é responsável para esse ambiente tornar-se tranquilo. Na rua, já temos uma luz intensa de dia, afinal vivemos nos trópicos, onde a luminosidade é linda, porém altíssima! Em casa, o desejado sempre é que o clima seja totalmente antiestresse, além de ter a nossa cara. Para isso, eu gosto muito de usar luminárias pontuais, de pouca incidência de luz com led e, de preferência, amarelo. As luminárias pontuais pequenas e charmosas fornecem a luz desejada para uma leitura ou a iluminação de um objeto. Nada além! Vamos deixar a luz intensa para o dia, para a praia … Em casa, um lusco-fusco relaxante é tudo de bom. Mas é claro que existem espaços e situações em que a luz é necessária e tem que ser abundante: cozinha, banheiros, por exemplo. No entanto, estamos falando de um outro tipo de luz, para um outro tipo de situação… Mostro algumas luminárias que uso constantemente para essa situação de charme e tranquilidade … São pequenas e com desenhos elegantes, mas, dependendo da luz, podem até ter uma luminosidade bem intensa. Eu prefiro sempre uma luz ambiente e que não venha toda do teto. Espaços com baixa intensidade de luz são uma ótima opção para quem quer chegar em casa e deixar o estresse do dia do lado de fora!”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/18/02/14

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-luz-mas-nem-tanto-assim%E2%80%A6/