O IMS abriu no último dia 16, sábado, a primeira retrospectiva dedicada aos desenhos do humorista, dramaturgo e tradutor Millôr Fernandes. Em 500 originais, os curadores Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires mapeiam os principais temas que estiveram presentes ao longo de 70 anos de produção do artista. Ao ganhar as galerias, os desenhos, feitos principalmente para serem publicados na imprensa, revelam a força de uma obra fundamental para a arte brasileira. Acompanha a mostra um livro que, além de reproduzir os originais, traz ensaios críticos e uma cronologia de vida e obra de Millôr. A mostra divide em cinco grandes conjuntos a obra gráfica do artista, dos autorretratos à crítica da vida brasileira, passando pelas relações humanas, o prazer de desenhar e a imensa produção do “Pif-Paf”, seção que manteve na revista “O Cruzeiro” entre 1945 e 1963. O acervo de Millôr, que reúne mais de seis mil desenhos e seu arquivo pessoal, está sob a guarda do Instituto Moreira Salles desde 2013. Confira nas fotos de Paulo Jabur.