Continuando nosso passeio pelo Casa Cor Rio 2012, mais 4 espaços que têm estilos e tamanhos muito diferentes, mas se igualam na beleza e nas propostas inovadoras.

Estar Gourmet, de Alexandre Gedeon e Hugo Schwartz

Presa na parede como um quadro, a poltrona Mole, de Sérgio Rodrigues, ganhou status de obra de arte. O Estar Gourmet dos arquitetos Alexandre Gedeon e Hugo Schwartz, com 40 metros quadrados, é um grande lounge em estilo industrial, inspirado na arte urbana do grafiteiro Toz. Dois sofás imensos tomam conta do ambiente que tem ainda poltronas, mesas laterais em corian e de centro (Degas), todos da Way Design. “Aproveitamos o piso original em madeira e retiramos o revestimento das paredes, deixando os tijolos originais aparentes”, conta Gedeon. O madeiramento do telhado também ficou exposto e pode ser visto através de uma tela metálica que recobre todo o teto.
Restaurante, de Angela Leite Barbosa
No térreo, numa área de 90 metros quadrados, o restaurante, com 70 lugares, tem cozinha aberta. Chama atenção logo na entrada um imenso mural cheio de cadeiras antigas e modernas. Uma referência direta à concepção do espaço, que faz um mix entre o estilo clássico-eclético do casarão e a contemporaneidade dos móveis, cores e instalações. O mobiliário é em madeira, com formas modernas, do designer Aristeu Pires. O grande sofá de futon foi desenhado pela arquiteta. A cozinha, da Todeschini, toda em madeira, laca vermelho escura e vidro azul frio, é revestida com caesarstone. O piso é em tábua de madeira da Covering e as paredes foram cobertas de papel com aspecto de aço corten, pintura Suvinil e espelhos. A iluminação da La Lampe é técnica, com luz bem direcionada. “Quatro pendentes colocados sobre mesas redondas ajudam a quebrar o pé direito alto”, conclui a arquiteta.
Loft + Rio, de Luiz Fernando Grabowsky
O arquiteto tirou partido do endereço nobre para criar um loft pensando num morador que curte as cercanias do endereço. “É uma pessoa que gosta de correr no Aterro e frequentar o Municipal e as exposições do Centro da cidade”, conta. No projeto, as paredes de tijolo e o teto de madeira aparente, originais da construção, foram preservados. No alto, ele colocou vigas metálicas, bem rústicas, para sustentar a iluminação. “Usei azulejos azuis e brancos, de formas geométricas, bem anos 70, estilo modernista, no peitoril das janelas”, diz. Com 65 metros quadrados, o ambiente abriga uma grande estante na parede principal que integra a cozinha, a copa e o living. Uma área de trabalho divide o espaço, que tem ainda quarto e banheiro.  A maioria dos móveis (armários, bancada, estante, sofá e cama) é lançamento da Florense _ e feitos especialmente para a Casa Cor Rio. “Mas também escolhi algumas peças de designers renomados da Arquivo Contemporâneo, como a mesa de jantar em laca branca de Silvio Romero, e as cadeiras Dix e banquetas Philips, de Jader Almeida”, descreve.
Beauty Center, de Sophia Galvão e Bianca da Hora
O Beauty Center da dupla tem bancadas suspensas por cabos de aço. “Elas flutuam no ar”, conta a arquiteta Sophia Galvão. Feitas em aço corten, combinam com os espelhos flutuantes. As cadeiras são as Pantosh, lançamento da Novo Ambiente, com o mesmo design das famosas poltronas. Um degrau em madeira divide o pequeno ambiente, de 17 meytros quadrados, em dois, um com expositores iluminados, que abrigam produtinhos de beleza, e outro para as mulheres retocarem o make up. O piso foi revestido com madeira e porcelanato que mimetiza o cimento e a parede com papel em tons neutros da Orlean. A iluminação indireta, com LEDs embutidos, ganhou focos no teto de madeira e no rodapé.  “Criamos um espaço zen para o cuidado do corpo e o equilíbrio da mente”, conclui a arquiteta Bianca da Hora.
Fotos: Rodrigo Azevedo