Curioso para saber mais sobre os ambientes do Casa Cor? Hoje apresentamos mais quatro belos espaços que já são sucesso entre o público que visita a casa.

Lounge de Informações, de Bernardo Schor e Rogério Antunes

Painéis em gesso em diferentes volumes e formatos cobrem quase todo o ambiente, das paredes ao teto. O espaço é uma homenagem da dupla ao arquiteto desconstrutivista canadense Frank Gehry, ganhador do prêmio Pritzker. No mobiliário, pufes hexagonais que se encaixam, formando formas e cores assimétricas, poltronas com estrutura de aço inox e  estofamento em couro e bancada de laca branca em formato de elipse (peça de autoria de Schor e Antunes). Spots embutidos no gesso e fitas LEDs pontuam a iluminação. Patrocinado pelo Casashopping, o Lounge de Informações tem piso original e aberturas no teto rebaixado que deixam à mostra parte da trama de madeira do telhado.

Apartamento dos Filhos, de Marise Marini

No condomínio da Casa Cor Rio os filhos adolescentes têm o seu próprio apartamento. A arquiteta aproveitou bem o espaço de 32 m², criando um living, um quarto para o menino de 16 anos e outro para a menina de 14 anos e um banheiro que atende aos dois quartos. No living, com minicopa, mesa de jantar, sofá e TV, destaque para o imenso painel de papel de parede com imagem digitalizada de uma paisagem urbana, lançamento da Orlean.  Móveis de design clássico e contemporâneo dão um ar bem descontraído ao ambiente. No quarto do menino as paredes receberam papel de parede xadrez off white e cinza que combina com a mistura freijó natural, laca brilhante preta e amarela, usados na marcenaria da Quarto Composto. “No quarto da menina, que dança balé, sobressai um painel de papel de parede com imagem digitaliza da figura de uma bailarina”, diz Marise.

Livraria, de Mônica Camargo e Sandra Babini

Com pé direito de 5 metros e teto forrado com papel azul marinho profundo, transmitindo a sensação de infinito, as luminárias fixadas lá no alto parecem estrelas, flutuam no ar. Pendentes presos em diferentes alturas com lâmpadas fluorescentes reforçam a ideia de ser um lugar mágico, perdido no tempo. Com a bandeira da Livraria da Travessa, o projeto faz homenagem ao escritor argentino Jorge Luis Borges e ao “labirinto borgiano” que inspirou os artistas plásticos Marcos Saboya e Gualter Pupo a criar uma instalação, com 250 mil livros, no Centro Southbank, durante as Olimpíadas de Londres. Estantes, mesas e balcões foram desenhados pela arquiteta. O piso original foi mantido e ganhou tapetes com frases escritas por Marcos Saboya, como “da mesma profundidade que o céu” e “pedidos inaudíveis”.

Lounge Todeschini, de Paula Neder

Uma verdadeira instalação artística é o teto de espelho feito pela arquiteta. Já que um dos temas do evento este ano é a moda, Paula reverencia sua estrela maior, a icônica Coco Chanel. No ambiente, as cores predominantes são os off whites com uma paleta de cinzas quentes lembrando pérolas em seus diversos tons, numa citação à famosa maison. Móveis de design, como a mesa de centro e o banco Matriz, de Jader Almeida, os sofás Boxer em linho, de Marcus Ferreira, e a poltrona colorida Pavo Real, de Patrícia Urquiola, convivem em harmonia com as peças antigas do Antiquário Arnaldo Danemberg. Raridades, como as mesas francesas de ofício: o móvel Drapier (onde tecidos eram separados para modelagem) e as mesinhas de marceneiro e de vendange. Também chama a atenção a sofisticada luminária Force, com 90 cm de diâmetro. A bancada em Corian com desenhos incrustados e a imensa estante Todeschini (outro lançamento), são assinadas por Paula. Segundo ela, o projeto é bem ao estilo do Rio de janeiro francês da época da construção do prédio. “O lounge é ao mesmo tempo contemporâneo e tradicional, leve e sofisticado, elegante e descontraído: adjetivos que só convivem bem na nossa cidade”, conclui.
Fotos: Rodrigo Azevedo