Criativos, bem humorados e com estilo arrojado, Andrea Duarte e Guilherme Osborne trabalham juntos desde 1998. Em entrevista ao Radar Decoração, Andrea fala sobre a carreira, estilo, gosto e não pensa duas vezes quando perguntada sobre a vantagem de se trabalhar em dupla: “Férias”, brinca a arquiteta, que com o parceiro busca fazer espaços aconchegantes e funcionais.

 

RD: Por que vocês escolheram a arquitetura?

A.D: Sempre gostei de interiores, desde pequena, e arquitetura foi o que me pareceu um caminho natural a seguir.

RD: Como foi a trajetória de vocês? Quando se cruzaram?

A.D: Nós nos conhecemos no escritório da Ana Maria Índio da Costa no final da década de 80. O Guilherme era arquiteto formado e eu ainda estagiava. Quando ele saiu da Ana eu me formei e passei a ser arquiteta dela, mas desde então mantivemos uma parceria informal até que em 2000 iniciamos a firma Duarte Osborne Arquitetura.

RD: Como vocês definem o estilo dos trabalhos que fazem? Qual foi o caminho para desenvolver esse estilo?

A.D: Nosso estilo pode ser considerado moderno, mas com toques aconchegantes. Fazemos casas para nossos clientes morarem e se sentirem bem em um ambiente acolhedor, confortável e ao mesmo tempo bastante funcional. Cada cliente exige um estilo diferente, um desafio diferente. Não impomos nosso estilo ou gosto pessoal se não for a cara do cliente. Ao invés disso, tiramos partido do desafio que é o gosto do cliente e tentamos adequar de forma a ficar harmonioso e funcional.

RD: Quais as vantagens do trabalho em dupla?

A.D: Férias… (risos).

RD: Vocês costumam dividir o trabalho de alguma forma?

A.D: Dividimos por clientes. Cada um fica responsável pelo projeto e pela obra. Quando temos algum problema e precisamos de uma solução ou um olhar “de fora”, fazemos essa interação.

RD: De onde tiram inspiração?

A.D: Basicamente do que o cliente passa no briefing. Tentamos fazer uma decoração que seja a cara do cliente.

RD: Como vocês se informam sobre o mercado de decoração?

A.D: Indo a mostras de decoração dentro e fora do Rio, na Feira de Milão, recebendo lojistas, visitando as lojas, indo a São Paulo, etc.

RD: Quais vocês acreditam serem as peculiaridades do mercado carioca? O que o Rio tem de melhor e o que falta nesse mercado?

A.D: O carioca não gosta de gastar em luxo. Pelo menos sentimos isso na maioria dos nossos clientes. Falta muita coisa no Rio. Na minha opinião, o Rio carece de tudo. Em São Paulo você vê lojas de todos os tipos de móveis, objetos, etc. Sem falar do investimento em decoração e arquitetura das lojas, restaurantes e bares. Sem comparação.

RD: Qual o estilo das casas de vocês? O que vocês gostam de ter nelas?

A.D: Minha casa não tem nenhum luxo. Gosto de muito conforto e é isso que mais busco. Estou sempre fazendo alguma reforma, trocando a cor da parede, forrando sofá. Agora acabei de fazer uma parede de tijolo na minha cozinha e já quero trocar o papel de parede do meu quarto, mudar a posição da cama. Não passo um ano com o mesmo apartamento sem mudar algo.

RD: Contem dos projetos que estão fazendo atualmente. Algum que estão curtindo em especial? Algum projeto que sonham em fazer e nunca fizeram?

A.D: Gostaria muito de fazer um hotel. Esse ano fizemos uma loja na Barra que ficou muito cozy e estamos com 5 obras em andamento e mais 2 iniciando.